Postagens

Destaque:

Os Monumentos Nacionais do Porto.

Imagem
  São no total 27 os momumentos classificados como Monumentos Nacionais do Porto. Passamos por eles muitas vezes e nem nos damos conta de que tem essa classificação, como é o caso desta pequena Capela dos Alfaiates(foto acima), que originalmente foi construída pela Irmandade dos Alfaiates do Porto no séc. XVI muito próximo da Catedral e que em meados do séc. XX, com a ampliação do Terreiro da Sé, foi transferida para as imediações do Teatro Nacional São João, também este classificado como Monumento Nacional.  Outro caso curioso é o chafariz do Jardim do Passeio Alegre projetado po Nicolau Nasoni, o famoso arquiteto italiano  autor da Igreja e da famosa Torre dos Clérigos, que  também recebe esta classificação. Grandes edificações como a Sé do Porto  e o próprio Centro Histórico são classificados como Monumentos Nacionais, além de outros que não são muitas vezes tão notados também estão nesta lista. Chafariz do Passeio Alegre Sé do Porto Fonte das Virtudes Como são classificados os Monu

O Parque Oriental da cidade do Porto.

Imagem
  Assim como o Parque da Cidade que no lado ocidental do Porto está no limite com Matosinhos, o Parque Oriental delimita a cidade do Porto com Gondomar. Ambos preenchem as extremidades da cidade com muita área verde e com espaços de lazer para quem quer praticar exercícios ao ar livre ou simplesmente  desfrutar de momentos junto à natureza em plena malha urbana. O Parque Oriental tem 16 hectares que poderão chegar aos 53 e foi projetado por Sidónio Pardal o mesmo  arquiteto paisagista do Parque da Cidade. Das coisas que mais me chamam  a atenção é a harmonia entre o granito, a pedra característica da cidade do Porto, e os espaços verdes que por ali percorremos. Para além de todo o percurso pedonal ser feito ao lado do rio Tinto que vai desaguar no rio Douro próximo à ponte do Freixo.  Em outros tempos aquela era uma zona totalmente rural e ainda podemos por lá encontrar ruínas de alguns antigos moinhos de água às margens do rio Tinto, utilizados certamente para a moagem de milho que er

Saberes e Sabores da Maia. Com o programa Malga e os seus produtos da terra.

Imagem
Valorizar o que a terra nos dá. A cidade da Maia, nos arredores do Porto, através da sua Câmara Municipal criou em 2020 o programa Malga   que surge para  fazer  uma ponte entre a tradição e a inovação na gastronomia portuguesa, dando a conhecer os produtos da terra. E surge num momento muito importante pois nunca se falou tanto em valorizar os produtos locais e os pequenos produtores como nestes tempos que estamos presenciando  duramente atingidos pela pandemia provocada pela Covid- 19. A Maia, onde vivo,  é conhecida por sua densidade urbana  envolvida por uma imensa  área rural e que  durante os períodos de confinamento, nas minhas caminhadas diárias tive o priveilégio de observar com mais atenção e encantamento os grandes campos de plantação de milho, e não só,  e o trabalho de  produtores locais  em seus pequenos pedaços de terra. É incrível ver como numa cidade onde muita coisa acontece e onde a malha urbana é bastante extensa, este convívio com o rural é tão harmonioso . Por iss

Porto, uma cidade para os amantes da arquitetura.

Imagem
Se existe um assunto que me envolve completamente na cidade do Porto quando ando por suas ruas é a arquitetura. Apesar de mal conseguir desenhar uma casinha, sou uma dessas pessoas amantes da arquitetura que não pára de apreciar todos os estilos que são capazes de nos conduzir por entre os séculos que esta cidade foi surgindo, sobrevivendo a invasões, guerras,crises e que mesmo assim foi crescendo e se tornando esta cidade tão apreciada por arquitetos e estudantes de arquitetura.  Não é por acaso que o curso de arquitetura na Universidade do Porto é um dos mais concorridos da Europa, principalmente na área da restauração do património. A partir da região da Sé e da Ribeira podemos encontrar as construções mais antigas da cidade. Desde vestígios arqueológicos, do período romano, passando pela belíssima construção gótico-românica da Catedral e as casas medievais no seu estado original, até as reconstruções inscríveis que conseguiram recuperar muitos imóveis abandonados e não só, que a

Vestígios arqueológicos no Porto

Imagem
  Desde os últimos meses de 2020 as escavações para a nova linha rosa do Metro do Porto reabriram  a possibilidade de novos estudos arqueológicos na Baixa da cidade. Não só na Praça da Liberdade mas também no Largo dos Lóios é possível observar vestígios arqueológicos que já vão mostrando que abaixo deste Porto que conhecemos haviam outras cidades. Já não é novidade, uma vez  que estamos a falar de uma zona da cidade onde podemos dizer que é onde se fez a história do Porto. Lembro-me quando a Rua das Flores foi toda requalificada junto com a Rua da Mouzinho da Silveira e o Largo de São Domingos. As obras demoraram muito mais do que o previsto porque muitas ruínas foram surgindo e precisavam ser minuciosamente estudadas pelos responsáveis da arqueologia municipal. Rua das Flores Muitos dos vestígios arqueológicos encontrados ao longo do tempo estão expostos de forma permanente em vários pontos da cidade e por isso historiadores, arqueólogos ou simplesmente apreciadores desta espécie de

O Porto encanta nas redes sociais: