domingo, 22 de abril de 2018

Porto e Portugal encantando a repórter Gloria Maria da Globo.

Quando um dos programas  de maior audiência da TV Globo, o Globo Repórter, mostra na última Sexta-Feira, a viagem da emblemática jornalista Glória Maria por paisagens belíssimas de Portugal, é um motivo de orgulho para os portugueses e para quem como eu, adotou Portugal como o país do coração.



No vídeo, podemos ver do minuto 9 ao 17,  Glória Maria a se encantar com o vinho do Porto e com a cidade do Porto...





Mas não só. Ela dá um giro enorme por Portugal, desde os lugares mais conhecidos até algumas aldeias históricas. Faltou muito, mas muito para mostrar.
Como por exemplo Braga, Guimarães, Ponte de Lima, Viana do Castelo, Belmonte (onde nasceu Pedro Álvares Cabral), o Parque Nacional do Gerês, a Rota do Românico e muito mais...



Meus quase 13 anos em Portugal, já me permitiram conhecer lugares escondidos e tão especiais. Como por exemplo a lindíssima aldeia de Quintandona... tão perto do Porto e tão especial.
Quanto para ver e conhecer neste país tão encantador!



É certo que o foco do programa era outro...
Ela mostrou alguns brasileiros que vivem em Portugal, tentando "vender" a ideia de felicidade plena de viver em Portugal.

Permitam-me dizer que viver em Portugal é ótimo, mas os problemas existem como em qualquer outro lugar do mundo. Mais problemas, menos problemas, mas eles existem.
Sou uma pessoa realista, que não acredita que mudar de país vá fazer uma pessoa feliz.
Como já disse aqui neste blog: a felicidade não é um estado geográfico, mas sim, um estado de espírito.

Uma mudança de país deve ser bem pensada e repensada e não é um programa de televisão "super produzido" de menos de uma hora de duração que deve servir de inspiração para uma mudança de vida.

Mas para mim, o que vale a pena ver no programa é como um país tão pequeno,  é tão cheio de diversidades, que poderão preencher a sua próxima viagem de histórias incríveis.

Antes de querer viver em Portugal, o que as pessoas precisam fazer é conhecer Portugal! 

Um país que esteve aqui desde há mais de 2000 anos, sempre foi lindo e que parece que só agora  o mundo passou a olhar para ele como ele sempre mereceu.

Sejam bem-vindos, programe a sua próxima viagem de férias para descobrir ou redescobrir Portugal.

Este país que tem história, cultura, gastronomia, vinhos, praia, campo, patrimonio, beleza natural, tradição e modernidade, tem também um valor muito especial: as pessoas.



Comece uma boa conversa com um português e você não vai querer parar. Eles tem ótimas histórias para nos contar. São emotivos, adoram receber.
Aprenda a entender Portugal, através das pessoas e da sua história.
Estou aqui há muito tempo. Mas todos os dias aprendo com eles.

Como a Glória Maria revelou no final do programa, não viaje apenas para passar por este ou aquele monumento, viaje para estar com as pessoas, para trocar experiências, para aprender com os locais.
Se uma jornalista com tantos anos de profissão, faz isto porque não quer parar de aprender, por que não seguir o exemplo e viajar para guardar muito mais do que fotografias... mas sim... guardar experiências incríveis para a vida toda?

Venha conhecer o Porto e Portugal. Você vai se encantar!





O Centro Interpretativo dos Vinhos do Douro e do Porto.

Quem visita a cidade do Porto, pensa logo nos vinhos mais famosos de Portugal.
Os vinhos do Porto e do Douro.
É comum visitarem as caves do vinho do Porto que ficam bem ali do outro lado do rio em Vila Nova de Gaia.
Mas existe na Baixa do Porto um edifício histórico belíssimo que vale a visita, para entender ainda mais toda a história e a produção destes dois vinhos. É o edifício do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto. Uma instituição que visa promover e certificar estes vinhos vindos do vale do Douro.

Conheça a beleza da arquitetura e todo o trabalho de promoção e regulamentação do IVDP neste post: AQUI

Na ocasião da minha visita ao IDVP no início de 2015, ainda não estava aberto para visitas o Centro Interpretativo dos Vinhos do Douro e do Porto, neste mesmo edifício...


Este espaço que foi aberto em meados de 2015 é moderno e super didático e dá a conhecer todas as informações necessárias para quem quer saber em detalhes, a história, a região, a produção, a certificação e todos os tipos de vinhos do Douro e do Porto...



É um espaço interativo com vários vídeos de curta duração, sobre os mais diversos temas...





Ali podemos ver a dimensão da relação dos vinhos do Douro e do Porto pelo mundo...



e a sua forte  relação com a cidade do Porto...


podemos ainda compreender a região do vale do Douro...


e de  maneira intertiva vamos percebendo melhor os vinhos do Douro e do Porto no melhor momento. A degustação...





A visita à este espaço no Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto é gratuita, mas quem quiser conhecer o edifício, suas principais salas e os laboratórios de análise dos vinhos, pode o fazer com acompanhamento de audio-guia. O custo é de 5 euros por pessoa.

Além disso pode fazer provas de vinhos do Porto através de máquinas self-service ou ainda aproveitar a loja de vinhos...



Uma visita obrigatória para os amantes dos vinhos portugueses!

IVDP - Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto
Rua Ferreira Borges, 27 
Ao lado do Palácio da Bolsa
De Segunda à Sexta-Feira das 11 às 19 h

sábado, 14 de abril de 2018

Sente a História. Música e Patrimonio no Alto Minho.

Do Porto em direção ao Norte de Portugal, antes de chegarmos na Espanha, o Alto Minho é uma região rica em tradições, natureza, vinhos verdes, gastronomia,  história, lendas e patrimonio.
É uma região que vale a pena conhecer e... sentir. É esta a proposta do programa cultural Sente a História que vai acontecer a partir do próximo mês de Maio e vai até Julho de 2019.

10 cidades vão receber o Sente a História

O Alto Minho é a região do país com maior número de monumentos classificados. Muitos destes monumentos vão ser palco de um programa  inédito em Portugal que vai acontecer em 10 municipios, durante 15 meses, apresentando 30 concertos em 30 locais históricos.
Todas as apresentações serão gratuitas.

Fui conhecer mais sobre  o Sente a História, e partilho aqui uma pequena mostra de uma peça musical  que deu início à apresentação deste evento à bloggers e imprensa...


Este é o Paço da Giela, em Arcos de Valdevez, local onde em Julho de 2019 no seu exterior será interpretada a Canção Lenda da Moira Encantada de Giela, por um grupo de gaiteiros e por um coral.
Todos artistas locais e jovens talentos. Porque este é o objetivo desta ação promocional: capacitar jovens artistas e valorizar os muito artistas da região.



O Paço da Giela, um edifício medieval com vistas para o rio Vez e além de estar relacionado com o surgimento das Terras de Valdevez, também remonta o famoso Torneio de Valdevez, facto histórico que ocorreu entre Afonso Henriques (que viria a ser o I rei de Portugal) e seu primo Afonso VII de Castela e Leão.
Arcos de Valdevez tem orgulho desta sua história que a coloca num acontecimento que nos leva à definição do território português.


Nos dias em que acontecerão os concertos, os monumentos estarão abertos para visitas guiadas e animadas com recriações de personagens.


A belíssma janela de arquitetura manuelina (bem portuguesa e bem medieval) do Paço da Giela.

Ainda em Arcos de Valdevez, foi possível conhecer a Igreja  Espírito Santo que está em pleno processo de restauro, mas que também será palco de uma apresentação em Março de 2019.
E onde o Presidente da Câmara Municipal, João Manuel Esteves, fez saber que Arcos de Valdevez será a porta de entrada da Rota do Barroco que está a ser definida no Alto Minho.





Marcas do Tempo
Em Outubro deste ano a Igreja de Arcos de Valdevez receberá o concerto do Alto Minho Ensemble


O Sente a História quer proporcionar uma experiência de História ao vivo, através de uma nova abordagem e com novos talentos. Serão mais de 1.500 jovens artistas, aproveitando a acústica natural dos monumentos.
As bandas filarmonicas que em outros tempos era composta apenas por pessoas mais velhas, hoje tem uma nova composição com jovens músicos e maestros e irão interpretar jazz, fado, música barroca, erudita, rock, metal e música popular.

O repentista Augusto "Canário", natural do alto Minho, escreveu letras que vão de encontro à lendas da região. As músicas, serão compostas por conhecidos compositores  e que serão interpretadas  por vários corais na última apresentação do Sente a História em Julho de 2019.

o cantar do improviso com Augusto "Canário" na Conferência de Imprensa

Para complementar este bom motivo para ir ao Alto Minho nos próximos meses, a gastronomia minhota estará a espera por todos que passarem por: Arcos de Valdevez, Caminha, Melgaço, Monção, Viana do Castelo, Ponte de Lima, Paredes de Coura, Ponte da Barca, Valença e Vila Nova de Cerveira.



Se a sua viagem por Portugal passa pelo Norte, vai ter a oportunidade de nos próximos meses, desfrutar desta inédita ação promocional de música e patrimonio.

Toda a programação e demais informações poderão ser acompanhadas em:




segunda-feira, 9 de abril de 2018

A Casa Escondida do Porto.

 A grande maioria dos turistas que passam por esta ou melhor, por estas fachadas não percebe à primeira vista que estão na verdade diante de duas igrejas.
O gigante painel lateral em azulejos impressiona e as fachadas em barroco também.
Mas na verdade estamos diante das Igrejas do Carmo e das Carmelitas. Pertencentes a duas ordens distintas fundadas nos séculos XVII e XVI. E o que ninguém nunca reparou é que entre elas existe uma Casa Escondida...


Sim, além de duas Igrejas, elas estão separadas por uma pequena casa...

A Igreja das Carmelitas, a Casa Escondida e a Igreja do Carmo

É certamente a casa mais estreita do Porto e provavelmente de Portugal e  concorre com várias casas estreitas pelo mundo.
A Igreja das Carmelitas  foi construída entre 1616 e 1628.
Em 1736, é fundada a Ordem Terceira do Carmo, que a principio tinha a sua sede no Convento dos Carmelitas Descalços, bem ali ao lado, mas em 1752 foi cedido o terreno ao lado da Igreja dos Carmelitas para a construção da Igreja do Carmo).
O que vou ouvindo por pessoas da cidade é que naquela altura não era permitido pelo Vaticano a construção de duas igrejas assim, uma ao lado da outra, e foi por isso que foi construída esta pequena e estreita casa entre as duas igrejas. Separando os edifícios.

A casa serviu de residência para alguns capelães e em algumas situações também abrigou artistas que faziam trabalhos na decoração da Igreja e médicos que trabalhavam no hospital da Ordem.
Nos últimos tempos lá viveram o Sacristão e o zelador da Igreja.

Reuniões secretas também foram ali realizadas nos tempos das Invasões Francesas entre 1807 e 1811,  no período do Liberalismo entre 1828 e 1834, durante o Cerco do Porto entre 1832 e 1833. depois da Proclamação da República em 1910 e também durante o período às Ordens religiosas.

Se as paredes da Casa Escondida falassem, ouviríamos muito sobre a história da cidade.
A cidade esta que passa bem à frente...



do seu interior é possível ver o edifício da
Reitoria da Universidade do Porto e toda a sua movimentação ao redor


Após 250 anos, a Casa Escondida, desconhecida também pela maioria dos locais, é agora aberta ao público para visitação. E claro que eu fui até lá!
Sempre que eu passava por lá com turistas brasileiros, falava sobre a existência desta casa, e a curiosidade sempre era  grande para saber como ela era por dentro...



Surpreendentemente, apesar de muito estreita, a casa de 3 pisos tem vários comodos, com o mínimo de conforto...




nada mal esta sala de estar e jantar

Inclusive uma cozinha...


Tudo em ótimo estado de conservação...


A visita à Casa Escondida, inclui a passagem pel belíssima Igreja do Carmo e também acesso ao local onde se encontram as catacumbas e onde é possível visualizar a Coleção de Pratas da Ordem do Carmo




Um segredo desvendado, fechado à 250 anos e que agora também pode visitar...



Valor do Bilhete 3 euros ( Abril/2018)

Horários:
Segunda e Quarta-Feira
das 8 às 12 h
das 13 às 18 h
Terça e Quinta-Feira
das 9 às 18 h
Sexta-Feira:
das 9 às 17:30 h
Sábado:
das 9 às 16 h
Domingo:
das 9 às 13:30 h
Feriado:
das 9 às 12 h






domingo, 1 de abril de 2018

Conhecendo o Porto e região de maneira diferente. Com a Cooking in Portugal.

Viajar pode ser muito mais do que conhecer uma cidade, os principais pontos turísticos e um pouco mais. Viajar pode se tornar uma experiência única!
Esta é a proposta da Cooking in Portugal, uma viagen gastronomica e cultural que começa no Porto e passa por diversas cidades da região Norte, onde o viajante conhece muito mais do que o básico de um destino. Conhece a cultura através da gastronomia e das pessoas.
Visitas, tours, provas de vinhos e de produtos regionais, showcooking e workshops estão na programação de uma semana de viagem.
A ideia é trazer turistas brasileiros para conhecerem o Porto e região de uma maneira bastante diferente.


O convite veio em edições anteriores mas desta vez, não deixei escapar a oportunidade de conhecer esta experiência. Juntei-me ao grupo e viajei do Porto para uma série de aprendizados, aromas e sabores.

O primeiro destino foi Felgueiras, a aproximadamente 40 kms do Porto para conhecer a Fábrica de Pão de Ló de Margaride. 




Ali desde o século XVIII a maneira de produzir o pão de ló ainda é tradicional, assim como as cavacas que são feitas com a mesma massa e de maneira artesanal...





Em 1893, passou a ser a fornecedora oficial de Pão de Ló para a Casa Real e Ducal de Bragança, um feito exibido com muito orgulho neste espaço que além de fabricar um dos produtos mais tradicionais de Portugal, é uma autentica viagem no tempo...


A combinação com o bom vinho do Porto...



De Felgueiras, a viagem seguiu para a belíssima Quinta da Aveleda, produtora de vinhos verdes e de queijos de cabra e de vaca.
Na visita à Quinta da Aveleda para além de conhecer os queijos e vinhos,  percorremos os imensos jardins que pertencem à casa da família dona da marca, de onde temos a privilegiada vista  das plantações de uvas. Visitar a Quinta da Aveleda é antes de mais nada um passeio bucólico...












E a seguir a belíssima Braga nos esperava com os seus monumentos, a sua história e a sua maravilhosa gastronomia, é claro, afinal, a viagem é para isso mesmo! Comer e aprender a fazer...





A primeira etapa gastronomica foi no moderno, mas sem perder a tradição, Casa de Pasto das Carvalheiras. 
Um restaurante colorido, com um atendimento fantástico e com o atual conceito de partilhas de várias porções...





Impossível ir a Braga e não subir o Bom Jesus do Monte para ter a fantástica vista lá do alto e apreciar aquele belíssimo Santuário...



Mas como o nome diz, Cooking in Portugal também é meter a mão na massa e aprender a cozinhar. E este foi o gran finale deste dia, assim como o é em todos os dias desta viagem gastronomica.

Em Braga, tive o prazer de conhecer o chefe Jorge Peres, que já comandou vários restaurantes em Portugal,  já cozinhou em vários países da Europa, mas hoje realizou o seu sonho e tem o seu pequeno restaurante onde pode dar asas à sua criatividade, sem perder a tradição da cozinha portuguesa e sempre privilegiando os produtos nacionais.
É no  seu Lab Restaurant, que ele realiza as suas experiências gastronomicas e partilha com muito gosto o seu conhecimento. Que honra  poder estar com alguém tão experiente e de uma simplicidade incrível!



É hora de aprender!! Truques e dicas para um bom preparo do polvo e  de bochechas de porco..








Uma seleção de enchidos portugueses e azeite para abrir o apetite...




polvo à lagareiro

o cuidado da harmonização  com as escolhas do chefe

bochecas de porco preto

 Sem contar a alegria de conhecer pessoas, trocar experiências e guardar para sempre lembranças de uma viagem muito diferente!!
Uma maneira de fazer turismo com qualidade!!




As edições da Cooking in Portugal são sempre nos meses de Março e Novembro.

Todas as informações em www.cookinginportugal.com

Porque viajar para comer... encanta!!