segunda-feira, 2 de março de 2015

A simplicidade e o encanto do vinho. No simplesmente... Vinho.

Um novo evento sobre vinhos chegou para ficar na cidade do Porto. é o simplesmente... Vinho.


Simplesmente porque o vinho é feito de coisas simples... da terra, do trabalho das pessoas, da vontade e da paixão.
É e por isso que o simplesmente... Vinho veio para ficar. Pela simplicidade, pela irreverência e pelo bem querer das pessoas.

Este evento que se auto-denomina: "um salão off, manifestação de nicho, independente e alternativa, que reúne na Ribeira do Porto, produtores unidos simplesmente... pelo Vinho", começou timidamente em 2013, sem nome, sem divulgação, apenas começou...simples, assim.
Em 2014 já tinha um formato mais organizado, com divulgação e já com o nome simplesmente... Vinho.
E agora em 2015 chega com muita vontade de se afirmar. E assim foi.


Uma ideia concebida por dois amigos, produtores de vinhos, o Mateus Nicolau de Almeida e o João Roseira, este  recebeu-me com  muita simpatia e boa disposição. E já foi logo me apresentando para o
jornalista brasileiro Didú Russo, que escreve  sobre vinhos de uma maneira muito descomplicada... assim... simplesmente. (vale a pena ver o seu blog: AQUI). Este paulistano como eu,  veio exclusivamente para o evento. Conhecê-lo foi uma das surpresas agradáveis deste evento...


Outra surpresa: o local onde acontece o Simplesmente... Vinho, um armazém na Ribeira, próximo do Cais da Estiva onde funciona uma Oficina de Arquitetura Integrada a SKREI, que  transforma trabalhos artesãos em produtos culturais, e por isso, a arte juntou-se aos vinhos emoldurados pelas pedras medievais
do Muro dos Bacalhoeiros...







Estamos numa Galeria de Arte...



E assim, neste ambiente de arte, música e irreverência, os produtores, misturam-se com as pessoas
para dar a conhecer os seus vinhos. Falam das suas criações, com orgulho e com... paixão.


Vinhos conhecidos, vinhos menos conhecidos, produtores independentes... vinhos bons.




Acompanhados de petiscos especialmente concebidos por conceituados chefes da cidade. como o Rui Paula, o Luis Américo e outros excelentes também...

profiteroles recheados com presunto e queijo da Serra da Casa Riberio

broa de Avintes com conservas do Chef Ricardo Teixeira Coelho

Outra surpresa: saber que das vinhas ali encostadas ao Muro dos Bacalhoeiros, surge um vinho cheio de histórias, o "Cheios de Sede"...



Mais alternativo... impossível!

Junta-se a tudo isto, a alegria de todos que estavam ali a trabalhar e o cenário especial da Ribeira...




Simplesmente... encantador.

Um evento a não perder nas próximas edições.
Sempre em Fevereiro. Acompanhe em: 



quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Da ruína à regeneração. O belíssimo Palácio do Freixo.

No último fim de semana eu tive a oportunidade de conhecer um  pouco do trabalho fantástico de recuperação que aconteceu no Palácio do Freixo, onde hoje se encontra a Pousada do Freixo, uma das hospedagens mais sofisticadas da cidade.

O Palácio do Freixo, foi construído no século XVII, pelo famoso arquiteto italiano Nicolau Nasoni, que depois veio a construir as principais obras de arquitetura barroca da cidade, seno a mais famosa a emblemática Torre dos Clérigos.
Nasoni foi mandado vir da toscana pelo conego D. Jeronimo de Távora e Noronha, cuja família de grandes riquezas mandou construir este Palácio às margens do rio Douro, onde hoje encontra.se uma das seis pontes da cidade do Porto, a Ponte do Freixo...


A partir do século XIX o palácio teve diversos proprietários até que no século XX foi adquirido pela Fábrica de Moagem Harmonia que passou a funcionar mesmo ali ao lado do palácio, mas nos dias atuais já está instalada num edifício mais moderno nas traseiras do atual hotel que hoje lá se encontra.

Entre estas mudanças todas, o palácio sofreu um avançado estado de degradação e de abandono até que entre 2002 e 2003 passou por um imenso processo de regeneração através do projeto executado pelo arquiteto Fernando Távora e seu filho José Bernardo, descendentes do primeiro proprietário do Palácio.

A visita guiada a exposição Palácio do Freixo - Ruína e Regeneração vem nos apresentar este trabalho espetacular de recuperação...



Localizada na sede da  IPERFORMA, uma das empresas de engenharia e arquitetura que interveio neste processo de regeneração, é possível conhecer passos importantíssimos do projeto, com as explicações do Sr. Daniel Fernando...


Através de algumas maquetas...






e da exposição de uma seleção de 12 fotografias que mostram o estado de degradação do edifício e do processo de recuperação...




Um vídeo de 1 hora e 40 minutos mostra-nos os detalhes do trabalho de restauro de peças e pinturas decorativas do palácio e da obra em si...



Que trabalho incrível!






E mesmo em frente à IPERFORMA encontra-se o Palácio do Freixo...




Lá fomos recebidos pela Sra. Paula Coutinho, a Guest Services Manager da Pousado do Freixo que gentilmente apresentou-nos as áreas comuns do hotel que estão localizadas no edifício do Palácio totalmente restaurado...






Os tetos são maravilhosos...








Por entre salas de eventos, salas de estar, bares e até uma capela é possível apreciar detalhes e pormenores lindos..



No restaurante encontram-se frescos originais de Nicolau Nasoni...


Dos jardins do Palácio podemos ver a antiga fábrica de moagem, onde hoje está o edifício destinado aos quartos e às zonas privadas dos hóspedes da Pousada...


 A característica fabril ali presente, dá um ar bucólico ao local...


os jardins, as fontes e as fachadas barrocas do Palácio são lindos!



 E o rio douro a emoldurar...



Um patrimonio  classificado como Monumento Nacional em 1910 e um trabalho de recuperação fantástico!

Parte da história de um Porto barroco, pelo arquiteto Nicolau Nasoni. 

Exposição Palácio do Freixo - Ruína e Regeneração
IPERFORMA - Rua Esteiro de Campanhã, 82

Marcação de visitas guiadas com: daniel.fernando@iperforma.pt