terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

A Igreja de São Lourenço e o Museu de Arte Sacra.

Quando estamos na frente da Sé Catedral, as cúpulas de uma igreja saltam às vistas.
É a Igreja de São Lourenço, também conhecida como a Igreja dos Grilos, conhecidos como os Eremitas dos Pés Descalços de Santo Agostinho.
Mais uma das muitas igrejas da cidade do Porto...


mais um exemplar de arquitetura, que apresenta obras de arte e de trabalhos artísticos no seu interior.
Uma cidade com tantos monumentos construídos ao longo de muitos séculos, apresenta principalmente nas suas igrejas os diversos estilos arquitetonicos.



A Igreja de São Lourenço, começou a ser construída em 1573 e só foi concluída em 1709.
O seu estilo tem influência maneirista nórdica e italiana.
No início pertencia aos Jesuítas, mas quando estes foram expulsos do país em 1759, passou a pertencer à ordem dos "Grilos". Estes, retiraram toda a talha dourada da Igreja, ficando apenas o belíssimo altar da N. Senhora da Purificação, que por si só já vale a visita à esta igreja...

repleto de detalhes incríveis!

No mais, a simplicidade da Igreja acaba por destacar os apontamentos dos outros altares...








Na sacristia também é possível apreciar móveis e obras de arte desde azulejos à madeira talhada...






O órgão ibérico da Igreja de São Lourenço também é lindíssimo e está em perfeito estado, proporcionando ótimos concertos naquele local...

na ocasião da minha visita, foi possível ouvir um bocado de um ensaio para um posterior concerto.

E para os apreciadores de arte sacra, na Igreja de São Lourenço também encontra-se o Museu de Arte Sacra e Arqueologia, que não apresenta um grande acervo, mas tem peças belíssimas e muito interessantes...




Onde funcionava o Colégio Jesuíta de São Lourenço, no antigo "corredor das lousas" encontra-se hoje uma galeria com obras que seguem a cronologia do nascimento, vida, morte e ressurreição de Cristo...





Não deixe de entrar nas Igrejas do Porto, independente da sua religião, não se esqueça, que dentro destes edifícios encontram-se  sempre trabalhos artísticos muito interessantes e importantes de outras épocas.

Igreja de São Lourenço - Museu de Arte Sacra e Arqueologia
Largo do Colégio, s/n
te.; +351 223395020
Acompanhe a programação, dos concertos do órgão ibérico e de visitas guiadas: AQUI




terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Sushisan na Baixa do Porto. O sushi na versão gourmet e rodízio.

Nascer e viver boa parte da minha vida em São Paulo, permitiu-me conhecer todo o tipo de gastronomia desde cedo.
Em casa com as avós, mãe e tias portuguesas a gastronomia portuguesa sempre fez parte da minha vida e que convivia pacificamente com os pratos tipicamente brasileiros.
Na escola, com as amigas de outras nacionalidades, aprendi logo a gostar de massas, pizzas, comida árabe, israelita, chinesa e outras.
Mais tarde, nos jantares com os amigos, chegou a vez de conhecer a comida tailandesa, indiana, mexicana e a deliciosa japonesa, que para mim foi amor à primeira vista.
Quando cheguei ao Porto há quase 13 anos, não me lembro da existência de algum restaurante de comida japonesa. E era difícil matar aquela saudades dos deliciosos sushis feitos com a qualidade que os sushimen brasileiros sabem tão bem fazer graças a influencia da grande colonia japonesa que vive desde há muitos anos no Brasil.
Hoje, tudo mudou e já existem muitos pela cidade.
Conheci recentemente o Sushisan Porto que abriu há poucos meses na Baixa, e que para minha alegria reúne qualidade e quantidade... muita!


O espaço é agradável e possui dois andares, sendo que o piso superior é ideal para jantares de grupos.



O conceito do Sushisan é apresentar  sushis e sashimis preparados na hora, com excelente apresentação e a melhor parte: comer, comer e comer. 
Sim é rodízio, tem preço fixo e podemos comer até sermos nós a dizer: chega.

No primeiro momento, vem-nos à mesa a sugestão do chefe, numa espécie de apresentação do que ele está preparando no dia. A entrada é sopa, a seguir hot rolls e uma seleção especial de peças de sushi e sashimi. 



A partir daí começam as repetições. Que podem continuar com as sugestões da casa, ou a pedido do que mais gostamos...



 Tudo acompanhado de excelente atendimento!

Onde há sushi, é quase certo que há brasileiros a preparar. E lá estão eles no Sushisan na Baixa do Porto. Com simpatia e muita concentração no trabalho...


O resultado está na qualidade...


Também é possível fazer pedidos baseados na carta, onde encontram-se vários combinados e pratos quentes como o yaksoba e o tempura.

Aceitei a sugestão da casa e provei a maravilhosa sobremesa Morango San...

Morangos salteados com gengibre e brandy, acompanhados de gelado.

Fica a dica. Se é apaixonado por comida japonesa, vive na cidade ou está visitando o Porto e deu aquela saudades dos deliciosos sushis e sahimis, vale a pena conhecer o Sushisan Porto na Baixa.

Preços dos rodízios:
13,90 € - almoço
17,90 € - jantar
(fev./2018)

Sushisan Porto - Baixa
Rua Santa Teresa, 28
Porto
tl. 223 165 667‬


sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

o Porto encanta faz 6 anos!

Sim! foi no dia 09 de Fevereiro de 2012, 7 anos depois de eu ter chegado e me encantado pelo Porto que publiquei o meu primeiro post sobre esta cidade encantadora.

Desde então, quase 900 posts foram publicados. Muitas palavras e fotografias para expressar sempre o meu encantamento, pelo Porto e pelas minhas viagens a partir do Porto.

Hoje o Porto encanta não se resume somente ao blog, mas sim a praticamente todas as redes socias e ao contato no dia a dia com meus leitores, muitos deles turistas brasileiros que chegam na cidade para também se encantarem através dos nossos Passeios com Sotaque Brasileiro.

A minha comemoração hoje, vem em forma de vídeo no canal do  Youtube do o Porto encanta, que passará a ter mais conteúdos. Por isso, se quiser saber quando eles serão publicados, basta subscrever ao canal: AQUI



Obrigada a todos que sempre estiveram presente nestes 6 anos!





terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Os melhores do mundo do vinho e da gastronomia de 2017, pela Revista de Vinhos.

Em noite de jantar e cerimonia no edifício da Alfândega do Porto, a Revista de Vinhos homenageou e entregou cerca de 24 premios a personalidades, marcas e serviços do mundo do vinho e da gastronomia portuguesa...



Foi na última Sexta-Feira e na presença de aproximadamente 900 pessoas que os diretores da Revista do Vinho e da Essência do Vinho, empresas que  organizam esta premiação que já vai na sua 21ª edição homenagearam e destacaram os melhores de 2017.
Mais uma maneira de promover o que Portugal tem de melhor: o vinho, a gastronomia e as pessoas.
Emociono-me sempre quando vejo tantas pessoas envolvidas na arte de fazer o vinho e a gastronomia portuguesa no seu melhor.
Como disse um dos homenageados da noite, Francisco "Vito" Olazabal, da Quinta do Vale Meão: "o vinho... o vinho são as pessoas!"


Fernando Guedes da Sogrape. Premio Homenagem 2017

Vasco Coelho Santos do Restaurante Euskalduna, no Porto - Chefe Revelação do Ano

Sérgio Marques do Restaurante Il Gallo d'Ouro na Ilha da Madeira. Sommelier/Wine Director do Ano

nomeados para Empresa do Ano

Aqui seguem todos os homenageados e premiados da noite:

HOMENAGEM
Fernando Guedes (Sogrape)

PERSONALIDADE DO ANO NO VINHO
Francisco “Vito” Olazabal (Quinta do Vale Meão, Douro) 

VINHO DO ANO
Mouchão Tonel 3-4 2011 (Alentejo) 

PRODUTOR DO ANO
Quinta da Fata (Dão) 

PRODUTOR DE VINHOS FORTIFICADOS DO ANO
Henriques & Henriques (Madeira) 

PRODUTOR REVELAÇÃO DO ANO
Quinta da Serradinha (Lisboa, Encostas D’Aire)

EMPRESA DO ANO
Casa Santos Lima (Alentejo)

MARCA DO ANO
Mateus Rosé (Douro) 

ENÓLOGO DO ANO
Luís Sottomayor (Sogrape) 

ENÓLOGO REVELAÇÃO DO ANO
Nuno Gonzalez (Herdade da Malhadinha Nova, Alentejo) 

SOMMELIER / WINE DIRECTOR DO ANO
Sérgio Marques (Il Gallo d’Oro, Madeira)

INOVAÇÃO / INVESTIGAÇÃO DO ANO
Esporão (Alentejo) 

ENOTURISMO DO ANO
Vila Galé Clube de Campo (Alentejo) 

LOJA / GARRAFEIRA DO ANO
Garrafeira Nacional (Lisboa) 

DISTRIBUIDOR DO ANO
Portfolio Vinhos

PERSONALIDADE DO ANO NO BRASIL
Marcelo Lima (empresário, produtor de vinhos nas regiões do Douro e dos Vinhos Verdes) 

PERSONALIDADE DO ANO NA GASTRONOMIA
Ljubomir Stanisic (100 Maneiras, Lisboa) 

RESTAURANTE GASTRONÓMICO DO ANO
Feitoria (Lisboa)

RESTAURANTE COM MELHOR SERVIÇO DE VINHOS DO ANO
Enoteca de Belém (Lisboa) 

CHEFE DE COZINHA DO ANO
Ricardo Costa (The Yeatman, Vila Nova de Gaia) 

CHEFE REVELAÇÃO DO ANO
Vasco Coelho Santos (Euskalduna, Porto) 

PRODUTOR ARTESANAL DO ANO
Neptun (Faralhão, Estuário do Sado)

DESTINO GASTRONÓMICO DO ANO
Matosinhos

BAR DO ANO
Red Frog (Lisboa)

A Revista de Vinhos é uma publicação especializada de referência em vinho e gastronomia, mensalmente publicada há 28 anos e atualmente disponível em Portugal, Angola e Brasil.
Na edição especial sobre os melhores de 2017 dá-nos a conhecer os vinhos que mais se destacaram ao longo de várias avaliações. 
Os vinhos que receberam o selo "Excelência" também foram homenageados em palco...




Fique atento na sua próxima compra ou escolha. 

São eles:

Conceito Único 2015 - Douro, Tinto.
Sidónio de Sousa Garrafeira 2011 - Bairrada, Tinto
Pêra Manca 2013 - Alentejo, Tinto
Gran Cruz Very Old Porto 130 Anniversary Edition - vinho do Porto
Herdade do Portocarro Partage Bual Pé Franco 2015 - Península de Setúbal, Branco
Quinta de Monte D'Oiro Ex Aequo 2013 - Lisboa, Tinto
JMF Bastardinho de Azeitão 40 anos - Setúbal
Quinta da Boa Vista Vinha do Oratório 2014 - Douro, Tinto
Covela Reserva 2014 - Vinho Verde Branco
Blandy's Vintage Bual 1957 - Madeira
Calda Bordaleza Campo Largo 2010 - Bairrada, Tinto
Murganheira Vintage 2007 - Espumante
Casa da Passarela "o Fugitivo" Vinhas Centenárias 2013 - Dão, Tinto
Portal do Fidalgo 25 anos Reserva Alvarinho 2015 - Vinho Verde Branco
Quanta Terra Planalto de Alijó 2011 - Douro, Branco
Taylor's Vargellas Porto Vintage 2015 - Vinho do Porto
Quinta da Fata Touriga Nacional Grande REserva 2014 - Dão, Tinto
Escondido 2015 - Lisboa - Branco
Moscatel Roxo Coleção da Família - Setúbal
Quinta dos Termos o Pecado de Virgílio Loureiro 2007 -  Beira Interior, tinto
Rui Roberedo Madeira 2015 - Beira Interior, Tinto
Casa Ferreirinha Reserva Especial 2009 - douro, Tinto
Ícone 2014 - Alentejo, Tinto
Sidecar 2016 - Alentejo, Branco
Graham's Porto Vintage The Stone Terraces 2015 - Vinho do Porto
Quinta Vale D. Maria 2015 - Douro, Tinto
Barbeito Bastardo Avô Mário 50 anos . Madeira
Mouchão Tonel 3-4 2011 - Alentejo, Tinto
Triunvirato nº 4 - Vinho de Mesa, Tinto
Soalheiro Primeiras Vinhas 2016 - Vinho Verde Branco

E em breve, entre os dias 22 e 25/02, no Palácio da Bolsa, os amantes do vinho vão poder participar da maior experiência  de vinhos em Portugal.
O Essência do Vinho, um evento que acontece todos os anos em Fevereiro, no Porto. Imperdível.

Porque os vinhos portugueses... encantam!

www.essenciadovinho.com 

Adicionar legenda


sábado, 3 de fevereiro de 2018

Do Porto para... Bragança. No Festival do Butelo e das Casulas. Comidas com história.

Confesso que existem histórias que atingem em cheio o meu coração. Principalmente quando estas histórias levam-me ao nordeste transmontano, a terra do meu pai.
Trás-os-Montes é uma das regiões que mais nos faz entender a história e as gentes de Portugal.
Uma região que aprendeu a viver e sobreviver com os seus recursos, mesmos em tempos onde eles eram tão escassos.
Os transmontanos sabem dar valor às mínimas coisas. E acreditem, são pessoas de um coração forte e que ao mesmo tempo, derretem-se com as suas emoções.

A gastronomia transmontana é uma das melhores do país, principalmente quando falamos em temperaturas baixas, onde a comida é preparada muitas vezes nas brasas das lareiras e nos fumeiros.

Em trás-os.montes, aprendeu-se desde sempre a comer de tudo. Porque muitos vezes, não havia o que comer.

 | A História e a Geografia explicam-nos as causas das dificuldades sentidas pelos nossos antepassados para conseguirem dar de comer e dar de beber aos filhos, porque eles tinham fome, tinham sede, não tinham culpa de terem vindo ao Mundo. Precisavam de comer, só que inúmeras vezes apenas havia "Uma mão cheia de nada e outras de coisa nenhuma", frase da escritora Irene Lisboa | Do livro: Bragança Carta Gastronomica

Ouvindo as histórias de vida dos transmontanos entende-se perfeitamente que do quase nada, se preparou o Butelo... e as casulas.


Em tempos de fome, aproveitar quase tudo do porco era comum. O butelo é um fumeiro (defumado) envolvido pela bexiga ou pelo bucho, vem recheado pelos ossinhos do espinhaço e das costelinhas com carne agarrada. E posso garantir: é de um sabor único. 
Este enchido artesanal é servido com as cascas de feijão secas, conhecidas também por casulas.
É costume saboreá-lo no sábado de Carnaval em todo o distrito de Bragança, para aquecer e dar energia para quem vai à rua brincar.
É comida com história e exclusiva daquela região.

Por isso, pelo VI ano consecutivo Bragança organiza neste primeiro fim de semana de Fevereiro o Festival do Butelo e das Casulas, reunindo uma série de atividades à volta desta iguaria tão rústica e tão especial.
O objetivo é promover a região e a gastronomia transmontana, porque além da feira, workshops e muita animação, vários restaurantes de Bragança vão estar incluindo o butelo e as casulas no seu menu.

Eu já havia experimentado esta comida tão tradicional, na terra do meu pai, Sendim, Miranda do Douro. É diferente e é bom.
E por isso, foi um privilégio prová-lo novamente, desta vez, no Porto,  na ocasião da divulgação do Festival, pelo Município de Bragança, no belíssimo restaurante Oficina do chef Marco Gomes, também natural de Bragança.




 às nossas vistas, Marco Gomes vai comandando o preparo de 4 momentos surpreendentes.



No 1º Momento, o chef deu novas texturas ao Butelo e às casulas, no bom estilo "cozinha de autor"...


fantástico!

O 2º Momento, serviu para "limpar o palato" em grande...

taco de bacalhau, arroz do mesmo, batata doce e purê de tinta de choco com azeite em pó

No 3º Momento, voltamos ao Butelo e às casulas na sua versão tradicional e a preferida do chef Marco Gomes, segundo sua própria confissão...

tradição, história e sabores únicos
E o 4º Momento veio para fechar com chave de ouro...

pão de ló com gelado de queijo e frutos secos

Nestes primeiros dias de Fevereiro, os caminhos levam a Bragança para provar esta comida tão tradicional. 
Seja no Festival do Butelo e das Casulas ou no Sábado de Carnalval, vale a pena... viajar para comer.

Do Porto para Bragança. Porque a gastronomia transmontana... encanta!






quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

A elegância e a tradição do chá da tarde no Bar das Cardosas do Intercontinental Porto.

Apesar de ser sempre lembrado  como uma prática inglesa, o hábito de se reunir à volta do chá da tarde, foi levado para a Inglaterra por uma portuguesa.
Catarina de Bragança, filha de D. João IV, casou-se com o rei inglês Charles II em 1662, tornando rainha da Inglaterra.
Nunca foi muito popular por lá por ser católica, mas era uma mulher com bons hábitos.
Foi ela que introduziu na Inglaterra a utilização dos talheres e dos pratos de cerâmica, uma vez que por lá ainda comiam com as mãos e em pratos de metal.
Tinha também como rotina, juntar-se com outras senhoras da corte para tomarem o que ficou famoso como o chá das cinco.

No charmoso e elegante Bar das Cardosas no Hotel Intercontinental Porto, a elegância deste hábito recebe o nome de Afternoon Tea e é servido de Quarta-Feira à Domingo das 12:30 às 18 h com vista para a emblemática Avenida dos Aliados...




Fui convidada para provar esta excelente ideia.
Não limitando-se ao horário do famoso chá das cinco, a proposta do Intercontinental Porto é que os turistas e locais que cada vez mais passeiam pela Baixa do Porto, entrem e façam uma pausa a qualquer hora da tarde.
Esta é uma sugestão para os hospedes e também para quem não está hospedado no hotel.

O Bar das Cardosas é aberto ao público e tem uma atmosfera muito elegante...




E é com elegância que o Afternoon Tea inicia...



Estamos à Norte, e por isso um fantástico espumante do Douro é a sugestão para acompanhar  as "fingers" sandwiches...


É claro que os scones não poderiam faltar. Além dos tradicionais, há uma versão com passas que é deliciosa. Acompanhados com natas e compotas.


E o gran finale, no topo, literalmente, estão os doces...

Pannacota de baunilha e molho de morango; Cheesecake de citrinos e frutos vermelhos; Bolo de chocolate guiness (com cerveja guinness).
Os chás são premium e provenientes de várias partes do mundo.



E o melhor: este hábito veio para ficar. Nã está condicionado ao Inverno. Durante o ano, o Afternoon Tea  passará a ser temático de acordo com datas comemorativas ou ainda se adaptando às outras estações do ano.

Fica a dica. Se está passeando nas tardes na Baixa do Porto, vale a pena fazer uma pausa diferente e elegante relembrando os hábitos da rainha Catarina de Bragança.

Bar das Cardosas - Hotel Intercontinental Porto
Praça da Liberdade, 25
Tl. +351 220035600
De Quarta-Feira à Domingo
Das 12:30 às 18 h
Menu sem Espumante: 14,50 €
Menu com Espumante: 20,50 €
(preços em Janeiro/18)