domingo, 25 de setembro de 2016

Os painéis de azulejos do Porto, para ver e se encantar.

Existem cidades europeias que se destacam por seus conhecidos museus e chamam a atenção de todos os visitantes apreciadores de arte nos seus vários estilos.
No Porto, há um tipo de arte que impressiona e não deixa ninguém indiferente.
E não está nos museus. Está em belíssimos espaços e alguns deles, em pleno céu aberto.
São os imensos  painéis de azulejos. Lindos!


E que diferente do que muitos turistas pensam, são pintados um a um antes de serem aplicados nas respectivas paredes. É é isso que nos faz admirar esta arte tão antiga e tão portuguesa. A perfeição das imagens depois que todos os azulejos são colocados.

 Aqui vai uma sugestão para quem vem ao Porto, e quer encontrar estas obras de arte espalhadas pela cidade:

1. Estação de São Bento

É claro que os painéis de azulejos mais famosos do Porto, são os da Estação de São Bento.
Onde os turistas não param de entrar, para admirar e fotografar...




São 20.000 azulejos pintados  em mais de 500 metros quadrados, de autoria do artista Jorge Colaço e que representam várias cenas históricas importantes do Norte de Portugal, dando destaque à evolução
 dos transportes naquela época e algumas situações da rotina do mundo rural...


foram colocados no início dos anos 1900


2. Capela das Almas:

Na rua mais movimentada do comércio tradicional do Porto, a Rua de Santa Catarina, há uma esquina onde é impossível ficar indiferente ao grandioso painel da fachada da Capela das Almas...




Aqui estamos a falar de  mais de 15 mil azulejos em 300 metros quadrados, que foram ali colocados em 1929. Foram pintados pelo pintor Eduardo Leite  e retrantam cenas da vida de São Francisco e de Santa Catarina..




3. Igreja do Carmo:

No mesmo estilo, e na fachada de outra igreja, os azulejos da Igreja do Carmo são um belíssimo exemplar do artista Silvestre Silvestri, pintados por Carlos Branco e foram ali colocados em 1912.
Vale lembrar que em todos os casos, estes grandes painéis foram colocados em edifícios muito mais antigos do que a data da sua colocação. Como por exemplo do séc. XV à XVIII, mas que no início do séc. XX, surgiram como expressão de arte daquele tempo, o que dá uma beleza especial, unindo a leveza da arte do azulejo com a arquitetura cinzenta do granito...


Cenas alusivas à Ordem Carmelita são expressas nestes painéis



4. Biblioteca Municipal do Porto

Fundada em 1833, por D. Pedro IV (o D.Pedro I do Brasil), a Biblioteca Municipal do Porto no edifício do antigo Convento de Santo Antonio da Cidade, e possui um acervo de painéis fantásticos, vindos de várias ordens religiosas, numa época onde mosteiros e conventos eram alvo de destruíção e bombardeamento. Para protejer estar verdadeiras obras de arte, conseguiam.se retirá-los dos locais originais e guardá-los.
Foi então possível colocar uma boa parte destes exemplares no átrio e nos corredores do claustro da atual Biblioteca Municipal do Porto.


para o deleite dos apreciadores da pintura de azulejos, nomeadamente dos sec. XVI à XVIII...

veja mais sobre os painéis de azulejos da Biblioteca: AQUI
A entrada é gratuíta e pode consultar os horários de funcionamento. AQUI



5. Claustro da Sé Catedral

A visita à Sé Catedral já vale po si só. Mas quando adentramos pela porta que nos conduz ao claustro, ficamos logo extasiados pelo belísimo contraste da construção gótica e dos azulejos que chegaram ali por volta do século XVIII...


Nos diversos espaços do Claustro da Sé Catedral, somos surpreendidos por exemplares lindos desta arte tão portuguesa que retratam desde cenas do cotidiano até as relações entre a vida terrestre e divina...

Pode ver mais sobre o Claustro da Sé Catedral, neste post: AQUI
A entrada no Claustro custa 3 euros, e vale a visita.



6. Capela de N. Sra. da Boa Hora de Fradelos - um "segredo" e uma grande surpresa

Esta pequena capela está localizada no centro do Porto, mas longe das demais atrações turísticas e por isso deve passar despercebida por muitos. Só que sobe a Rua de Sá da Bandeira até o alto vai ver do seu lado esquerdo esta pequena construção com muitos azulejos na fachada, mas que é ao entrar que recebe uma grata e grande surpresa ao contemplas imensos painéis de autoria do pintor Jorge Colaço o mesmo autor dos painéis da Estação de São Bento...



As cenas retratadas nestes painéis são alusivas à vida de Santa Terezinha. Pode ver mais sobre esta pequena capela e os seus belíssimos painéis, neste post: AQUI
Quem gosta de descobrir esconderijos que nos surpreendem vai adorar!
Na Rua de Sá da Bandeira, esquina com a Rua Guedes de Azevedo.



A arte que encanta e que não está nos museus.


sexta-feira, 16 de setembro de 2016

"Os Hospitalários no Caminho de Santiago" - A Feira Medieval de Matosinhos.

Uma Feira Medieval aqui na região do Porto para guardar no calendário e não perder a próxima edição.
É a Feira Medieval que acontece em Leça do Balio em Matosinhos que tem um nome muito especial e não é por acaso: "Os Hospitalários no Caminho de Santiago".
Desde que começaram as peregrinações a Santiago de Compostela a partir de Portugal, o Mosteiro do Balio, foi um local que acolhia os muitos peregrinos que por ali passavam, servindo de hospital e albergue.

Fui a primeira vez a esta Feira Medieval, quando cá cheguei em Portugal, portanto na sua primeira edição.
Na altura era uma feira pequena, começando ainda muito tímida. Com o passar dos anos, não tive a oportunidade de lá voltar.
Agora, na sua 11ª edição, no passado fim de semana, voltei e me surpreendi.
A feira cresceu está linda e super animada!
Num local muito especial para a história de Portugal, à volta do belíssimo Mosteiro de Balio, esta feira medieval não tem a grandiosidade da Feira Medieval de Santa Maria da Feira, mas tem um tamanho ideal, está muito bem distribuída e é muito agradável andar por lá.






Recriações históricas e personagens muito interessantes, estão o tempo todo a circular e a animar os visitantes!





um peregrino de Santiago dos tempos medievais





Tive a oportunidade de fazer um visita guiada por uma arqueóloga da Câmara Municipal de Matosinhos, a Dra. Conceição Pires, que nos conduziu por uma autentica viagem no tempo...






Eu já havia escrito sobre o Mosteiro do Balio aqui no blog. Pode ver neste post: AQUI. Mas foi um privilégio rever este belíssimo exemplar da arquitetura gótica com o conhecimento da arqueóloga da cidade...




Inclusive, conhecendo detalhes da sua fachada, que tem uma característica de castelo defensivo...




Tivemos acesso a espaços muito especiais no interior do Mosteiro, inclusive aonde os peregrinos de Santiago eram acolhidos...




Tão lindo! Verdadeira viagem no tempo!


E é claro que numa boa Feira Medieval não pode faltar: comida e bebida!!

sandes de pernil com queijo da Serra e Sangria! Maravilha!



crepes artesanais


Tudo sob a supervisão dos reis que casaram "escondidos" no Mosteiro do Balio: o rei D. Fernando e D. Leonor Teles. Um casamento por amor! O que era quase impossível em tempos em que os casamentos eram todos acordados...


E para o ano há mais!

Se vem ao Porto em Setembro ou se vive na cidade, vai gostar de se divertir nesta feira tão histórica, aqui bem ao lado.
Acompanhe as datas das próximas edições em: Câmara Municipal de Matosinhos.