quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Descobrindo segredos no Parque de São Roque

Alguns parques do Porto estão fora do circuito turístico da cidade, mas merecem toda a nossa atenção. São imensas áreas verdes que na verdade faziam parte do jardim de Quintas instaladas em zonas chamadas rurais, por estarem situadas em regiões que antigamente eram consideradas mais afastadas do centro do Porto. 
A cidade cresceu, as Quintas deixaram de existir e estas áreas verdes foram abraçadas pela malha urbana e constituem uma série de parques que encontramos espalhados pelo Porto.
O Parque de Nova Sintra é um desses casos, escondido na região de Campanhã é uma autentica exposição de antigas fontes da cidade, além de possuir uma série de espécies de árvores e plantas a conhecer. Ver o post sobre este parque : AQUI.

Desta vez fui "explorar" o Parque de São Roque, também conhecido como a Quinta da Lameira.
Localizado muito próximo ao Estádio do Dragão, o Parque de São Roque é todo em patamares que vão do portão localizado numa zona mais alta, na Travessa das Antas...


até lá abaixo no portão de ferro forjado da Rua São Roque da Lameira...


Entre estes dois portões o que encontramos é um parque que apesar de apresentar um estado de conservação que poderia ser melhor, oferece uma agradável área verde para passeios, caminhadas ou apenas para quem quer descansar junto à natureza...





Dos patamares superiores é possível avistarmos a Igreja do Bonfim e o rio Douro...



Cheio de recantos o parque tem uma característica de jardim romântico, com esculturas e bancos em granito, uma capela...






 um lago com muitos patos e uma ponte muito charmosa...


alamedas, chafariz e muitas espécies de plantas...




recantos ideais para um piquenique à sombra...



No centro do parque a primeira grande surpresa... um labirinto perfeito! Daqueles que costumamos ver em filmes de outras épocas. Lindo!


Os miúdos adoram, mas eu também vi por lá muitos graúdos a se aventurarem e se perderem até conseguirem encontrar a saída...


Mas ao descer as escadas que vão dar ao portão da rua São Roque da Lameira é que me deparei com o que foi para mim uma grande surpresa. Uma casa apalaçada do fim do séc. XVIII que seria a casa daquela que foi uma grande quinta. A Quinta da Lameira.



Vim a saber que pertenceu à família  Calém, produtora de vinhos do Porto e que em 1979 foi adquirida pela Câmara Municipal do Porto, que transformou o jardim desta quinta no Parque de São Roque e que por uns tempos utilizou a casa como sede do Gabinete de Planeamento Urbanístico do Porto.
Infelizmente a casa hoje em dia não é utilizada e encontra-se em estado de degradação. Mas é impossível ficar indiferente à beleza daquela arquitetura. São detalhes lindos...


Fiquei quase uma hora a dar voltas na casa a admirar cada pormenor.
O trabalho do ferro forjado nas janelas...


o chão com tijoleira trabalhada na entrada principal... lindo!




Azulejos por toda a fachada da casa em vários estilos...


e num excelente estado de conservação estava o maravilhoso beiral, com telhões de faiança por toda a casa. Não cansei de admirar...






Eu não era a única por ali. Muitos que passeavam pelo parque pela primeira vez, também estavam como eu, com ar de admiração e ao mesmo tempo com um pouco de tristeza por ver um patrimonio daqueles tão abandonado...



Próximo da casa, ainda encontramos uma linda fonte também em ferro forjado...


um mirante com uma gruta embaixo...


e muitos outros recantos a descobrir...


Se você é um daqueles turistas exploradores, vale a pena conhecer. Por ali vai encontrar marcas de outros tempos e pode fazer um bom passeio por quase 4 hectares de área verde. É próximo da estação do metro Estádio do Dragão.

Se vive no Porto a sugestão é descobrir ou redescobrir o Parque de São Roque, assim como admirar um verdadeiro patrimonio que é a casa da Quinta da Lameira.
Penso que não vale a pena reclamar do seu estado de degradação. Quem sabe... partilhando este post, seja possível chegar a alguém que possa fazer alguma coisa por ela.
Porque o Porto merece ter mais este espaço encantador de volta!

3 comentários:

  1. Que beleza...não há palavras para classificar o PATRIMONIO NATURAL, arquitectonico...

    ResponderExcluir
  2. Fui la hoje com a minha cadela, uma Cocker de 4 anos que anda sempre de trela e que correu louca de alegria por aquela veredas escadas e relvados. Estava literalmente cheio de gente que aproveitou o domingo para relaxar e fazer um piquenique ,conversar levar as crianças a brincar (o parque infantil estava repleto). Ate miudos havia a tomar banho no "lago" dos re repuxos. Adorei eu a Fiona ( aminha cadela)tambem.Voltaremos ate porque nos fica relativamente perto . Bem haja pela divulgaçao destes recantos bonitos do nosso Porto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa! que maravilha que aproveitaram bem o Parque!!! Fico feliz! Obrigada pelo seu comentário tão gentil! Beijinhos!

      Excluir