segunda-feira, 24 de agosto de 2020

Porto Liberal.

 Logotipo da Rota do Porto Liberal

A cidade que é Invicta e que também gosta de ser Liberal

Todos já ouviram falar que o Porto é a cidade invicta que nunca se deixou vencer. Não há guerra ou qualquer outra adversidade que faça o Porto curvar-se. E é por isso que hoje, quando completam-se 200 anos do início da Revolução Liberal, o Porto tem orgulho de dizer que daqui iniciou-se um novo rumo para a história do Liberalismo político em Portugal.

O Porto assumiu-se sempre como cidade liberal desde quando eram os bispos  que mandavam no burgo, ao contrário do restante do país que vivia sob as ordens do reino, passando pela forte tradição comercial e mercantil, onde a burguesia "falava mais alto" e o seu povo não se curvava às injustiças.

Quando a corte portuguesa transferiu-se  literalmente para o Brasil devido às Invasões Napoleônicas  no início do séc. XIX, ficam em Portugal os ingleses que assumiram desde o início serem os grandes aliados diante de toda a situação.  
Depois da derrota dos franceses, os ingleses passam a se achar "donos" de Portugal, causando total descontentamento aos portugueses que foram submetidos à forte crise económica.

Em 1818 no Porto, sob o comando do juiz Fernandes Tomás é criada uma associação que recebe o nome de sinédrio. Inicia-se então o desejo de se implementar o liberalismo em Portugal, a exemplo de outras constituições de outros países europeus e com o principal objetivo de exigir o retorno da corte para Portugal.
Durante dois anos, secretamente, os liberais articularam uma revolução que vai dar início na madrugada do dia 24 de Agosto de 1820,  quando tropas militares saem do Quartel de Santo Ovídio, localizado na atual Praça da República do Porto.

gravura da missa campal rezada em frente ao Quartel de Santo Ovideo
missa campal, celebrada antes da salva de 21 tiros, à frente do Quartel de Santo  Ovídio dando início à Revolução Liberal
(foto:portoarc)


O destino destas tropas é chegar à Lisboa, afastar os ingleses e formar um governo provisório, até o regresso de D. João VI, que deixa o Brasil e chega de volta à Lisboa em Julho de 1821.
Enquanto isso, a nova Constituição passa a ser elaborada ficando pronta em Setembro de 1822.

Depois da morte de D. João VI, seu filho D. Miguel assume o reino e contra a vontade do irmão D. Pedro, o imperador do Brasil, rasga a nova constituição e faz voltar o absolutismo.
O que gerou muitas outras insatisfações, obrigando o regresso de D. Pedro à Portugal, dando início à guerra civil conhecida como o Cerco do Porto, o que colocou os dois irmãos em plena batalha, um contra o outro, durante mais de um ano também na cidade do Porto.
De um lado,  D. Miguel com mais de 40 mil soldados e do outro D. Pedro, com 7.500 soldados e uma cidade inteira a apoiá-lo. 
Mais uma vez, o Porto não se deixou vencer e ajudou D. Pedro na vitória contra o irmão, tornando-se assim D. Pedro IV, o rei de Portugal, infelizmente por pouco tempo uma vez que contraiu uma doença durante a batalha e veio a falecer em 1834 deixando como pedido que seu coração fosse guardado na cidade do Porto.

E assim foi realizado o seu pedido. Sua filha, a rainha D. MariaII trouxe para o Porto a relíquia mais importante que a cidade guarda até hoje, na Igreja da Lapa.

mão segurando o guia da rota do Porto Liberal
encontra-se em várias livrarias e é um guia excelente para quem quer conhecer a cidade liberal.

Uma trajetória  que fez da cidade o palco principal para o liberalismo político em Portugal.
Mais uma vez o Porto e a sua importante presença na história.
Parabéns ao Porto Liberal pelos seus 200 anos de orgulho!!


Vem para o Porto e região?

Quarto de hotel no Porto

mãos à tocar azulejos em experiência no Porto

4 comentários:

  1. Rita, além de "passear" pelo Porto, o que também me encanta em seu blog é esse resgate histórico-cultural que você faz tão bem! Gratidão por seu trabalho tão bonito, tão importante e tão delicioso de acompanhar!
    Beijo grande para ti! ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bea!! Muito obrigada pelo seu comentário tão carinhoso!!

      Excluir
  2. O Porto é a minha cidade Natal,tenho muito orgulho na minha cidade,pela a história que encerra,e a beleza que contém, amo a minha cidade.Sempre que posso vou sempre á procura de um Porto desconhecido.E maravilho-me sempre, tenho muitas fotos lindas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É para ter muito orgulho sim! A sua cidade é um encanto!! :) Obrigada pelo seu comentário

      Excluir