sábado, 29 de setembro de 2018

Do Porto para Amarante. Paisagem, Cultura e Gastronomia.

Dois meses depois da minha última visita a Amarante, voltei àquela cidade para descobrir mais dos seus encantos.
E nada como conhecer uma cidade com os seus locais para entender ainda mais porque vale muito a pena ir e ficar em Amarante, e não apenas passar por ela.
E foi com os locais João e Liliana, da empesa Inside Experiences que eu senti e entendi Amarante.
Engano meu pensar que Amarante é uma pequena cidade onde basta conhecer a Igreja e a ponte de São Gonçalo, um pouco mais e já está.
Amarante é muito mais, e inclusive é um Concelho (cidade) imenso!
Basta ir à Serra da Aboboeira que fica entre as montanhas do Marão e Alvão para perceber a sua grandiosidade. Ali adentramos por uma Amarante repleta de pequenas aldeias carregadas de histórias, lendas e tradições.


E a história começa há mais de 5.000 anos, quando povos nômades se instalaram na Serra da Aboboeira, encontrando um território granítico onde desenvolveram técnicas que permitiam o corte de imensas pedras, e ainda deixaram um patrimonio incrível de vários  Dolmens (estruturas que protegiam as antigas sepulturas) do período megalítico.


Ali ao pé da Serra da Aboboeira entramos no mundo do pintor Amadeo de Souza-Cardoso, pintor modernista, natural de Amarante que tem uma história de vida curta e bastante intensa.
Desde cedo partiu para Paris, e entrou em contato com os grandes pintores do início do século XX, ficando muito próximo de Modigliani, com quem dividiu exposições e realizou vários trabalhos lado a lado.
Amadeo Souza-Cardoso morreu muito novo, aos 30 anos, e talvez por isso não teve o protagonismo merecido.
No ano em que completa-se o centenário da sua morte foi emocionante percorrer alguns dos seus caminhos na sua cidade natal, como por exemplo os locais de onde surgiam as suas inspirações para pintar a imensa  paisagem de Amarante.




Esta experiência em contato com a natureza, só poderia terminar da melhor maneira. Com um piquenique recheado de produtos regionais e emoldurado pela belíssima paisagem.
Já no centro de Amarante, se existe uma paisagem que não cansamos de admirar é a vista das belíssimas ponte e igreja de São Gonçalo. Local de tamanha importância na história da região.
Mas desta vez, o passeio com a Liliana e o João, conduziu-nos a uns recantos onde o cenário é ainda mais encantador. Quase em cima do rio Tâmega.



veja mais sobre a história de Amarante: AQUI
E é exatamente no Museu Amadeo Souza-Cardoso que se tranformou o Convento da Igreja de São Gonçalo, um reduto  de algumas de suas obras e de muitos artistas modernistas.




e foi com os locais João e Liliana que descobri esta coleção de brasões aos fundos do Museu. Adoro!
Os caminhos de Amadeo Souza-Cardoso também passa pelo Restaurante Pena que está localizado numa antiga propriedade da família e onde o tio do pintor, Francisco José Lopes Ferreira (o tio Chico), o seu grande incentivador, criava os seus cavalos puro-sangue lusitano.

Hoje o espaço foi todo recuperado e tem como chef executiva, Cristina Manso Preto. Requinte e informalidade ao mesmo tempo que desfrutamos da gastronomia portuguesa com toques contemporâneos.



recordações...


E porque uma viagem preenchida de experiências passa também pelo turismo criativo, o grande e inspirador desafio foi terminar a visita à Amarante com um workshop de pintura inspirada nos traços de Amadeo Souza-Cardoso.



Desta vez a minha hospedagem em Amarante ficou a 3 kms do centro, na Aldeia do Tâmega, junto à natureza, num conjunto de 14 casas típicas de uma aldeia da região. Simplicidade, tranquilidade e muito mais!
Logo ali ao lado encontra-se o maior Parque Aquático da Península Ibérica, courts de tenis, campo de futebol, campo de golf, sauna e ginásio.

O pequeno-almoço/café da manhã é entregue todas as manhãs à porta. Faça sua reserva: AQUI

Cada vez mais, o Norte de Portugal a me surpreender!

Mais um mundo de experiências para desfrutar a partir do Porto, a apenas 50 kms.

Porque o Porto encanta... e o Norte de Portugal também.


Vem para o Porto e região?


segunda-feira, 24 de setembro de 2018

A Liga dos Campeões 2018/19 no Porto. Nos meses de Outubro e Novembro.

Como acontece nos últimos anos, quem vem para o Porto durante a temporada de futebol profissional, tem a oportunidade de assistir, no Estádio do Dragão, jogos da grande competição europeia de futebol: A Liga dos Campeões.
A temporada 2018/19 já começou mas os jogos no estádio do Porto para a Liga dos Campeões na primeira fase, a de grupos, vão acontecer nos próximos meses de Outubro e Novembro.
Para os que adoram futebol, ou não, a Liga dos Campeões é sempre um espetáculo a não perder.

foto: Maria Cristina Barbosa
O estádio do Dragão é um dos mais agradáveis da Europa e vale muito a pena conhecer, principalmente quando lá acontecem os jogos da competição que todos os jogadores que jogam na Europa querem participar. Porque nela estão presentes os melhores clubes do continente europeu...

imagem do site: uefa.com

Está é a taça que todos querem levantar...

foto: Uefa

e que o FC do Porto já ergueu 2 vezes e  podem ser vistas no Museu do Estádio do Dragão...


A final da Liga dos Campeões 2018/19 será em Madrid no dia 01 de Junho do ano que vem, mas até lá muita bola vai rolar em vários jogos de várias fases.
Atualmente estão sendo disputados os jogos da fase de grupos, e os adversários do FC do Porto serão: o Galatasaray,  atual campeão turco, o Schalke 04, que é o vice-campeão alemão, e o Lokomotiv Moscou que é o atual campeão russo.
E os jogos com estes clubes  no Estádio do Dragão já acontecerão em breve. Nos próximos meses de Outubro e Novembro:

03/10 - FC Porto x  Galatasaray
06/11 - FC Porto x  Lokomotiv Moscou
28/11 - FC Porto x  Schalke 04
todos às 20 h

É uma oportunidade de apreciar não só um bom jogo de futebol, mas conhecer a belíssima arquitetura do Estádio do Dragão, acompanhar a ótima organização de um evento desportivo de alto nível e sentir a emoção de perto, ao ver como os portuenses - portistas vivem um dia de grande partida.


Em dia de jogo da Liga dos Campeões a cidade fica cheia de adeptos/torcedores adversários que aproveitam para fazer turismo no Porto. Tudo sempre com muito fair-play.

Caso esteja com a sua viagem programada para os meses de  Outubro e Novembro de 2018, pode comprar os bilhetes através do site do clube: www.fcporto.pt.
Os bilhetes também são vendidos nas bilheteiras do Estádio e nas Lojas dos Produtos oficiais do clube. Veja os locais: AQUI

a melhor maneira de se deslocar ao Estádio do Dragão em dias de jogos é de metro, uma vez que a Estação Estádio do Dragão é mesmo em frente...


Vale a pena chegar cedo para sentir o todo o clima em dia de jogos e aproveitar para visitar o belíssimo Museu do Estádio do Dragão que mostra não só a história do clube como também a relação da cidade dom o FC do Porto.

Veja mais sobre o Museu: AQUI

Fica a dica: se vem para o Porto nos próximos meses ou vive na cidade, aí vem a maior competição dos clubes europeus.

Vem para o Porto e região?






quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Monasterium KM 234. Um mosteiro e uma exposição.

Em Matosinhos, nomeadamente em Leça do Balio, encontra-se o belíssimo Mosteiro de Leça do Balio, o belíssimo monumento gótico que durante séculos, tinha o papel de apoiar os milhares de peregrinos que por ali passavam rumo à Galiza, onde encontram-se os restos mortais de Tiago, o apóstolo de Cristo, em Santiago de Compostela.
A partir deste mosteiro os peregrinos ainda tem que percorrer 234 Kms para chegarem ao seu destino. E é este o nome da exposição que conta a história deste mosteiro, as histórias e lendas à volta desta tão importante peregrinação, que dia após dia atrai cada vez mais pessoas que querem viver esta experiência que é fazer o Caminho de Santiago. Monasterim KM 234, fica até 16 de Dezembro de 2018, neste local que hoje é uma propriedade privada, já que em meados do séc. XIX, as ordens religiosas foram extintas em Portugal.




Como peregrina do Caminho de Santiago, não poderia ficar sem ver esta exposição. Veja todo o meu Caminho Português de Santiago: AQUI
A primeira vez que visitei a exposição, foi acompanhando o historiador Joel Cleto, que de maneira muito especial, fala dos Caminhos de Compostela como um verdadeiro peregrino...

Todas as visitas à esta exposição são guiadas. O que a torna ainda mais especial.

As visitas acontecem de hora em hora e duram aproximadamente 50 minutos
Monasterium KM 234, ocupa 8 espaços em 2 pisos de uma parte do mosteiro que desde a sua aquisição, esteve fechada para visitas, sendo possível conhecê-lo apenas nestes meses que acontecem a exposição. Um edifício com as marcas do seu tempo...
Quem é Santiago, as histórias e lendas a seu respeito, como surge o Caminho de Santiago, o peregrino do séc. IX até os dias de hoje. Estes são os temas da primeira fase da exposição.





Por que todos querem ir à Santiago de Compostela?



A história do mosteiro e da sua ordem, a Ordem de Malta, a sua ocupação pelas tropas de D, Miguel, quando este enfrentou o seu próprio irmão, D. Pedro IV/ I do Brasil,na época do Cerco do Porto e a aquisição do Mosteiro a um engenheiro, são os destaques da segunda parte da exposição.


A Sala do capítulo é a sala mais antiga do Mosteiro. Lá muitos peregrinos foram tratados.
E lá encontra-se a escultura criada pelo importante arquiteto Álvaro Sisa Vieira para a Monasterium KM 234.

Vale lembrar também que foi aqui que se realizou o primeiro casamento por amor da monarquia portuguesa. D. Fernando com D. Leonor Teles...


conheça mais sobre a Igreja do Antigo Mosteiro de Leça do Balio: AQUI
Longe da agitação turística e das filas para entrar em alguns monumentos, e a aproximadamente 10 kms do centro do Porto, uma exposição para se encantar!
Não se espante se ver por lá vários peregrinos de Santiago de Compostela. 

Monasterium KM 234

www.mosteirolecadobalio.com 

Até 16 de Dezembro de 2018
de Quarta à Domingo das 9:30 às 18:30 h
Visitas guiadas de hora em hora.
Necessário marcar por + 351 913 502 390

Da Estação de metro Trindade, saem autocarros/ônibus  regurlamente todos os dias que levam ao Mosteiro de Leça do Balio, e é gratuíto.


Vem para o Porto e região?



sábado, 8 de setembro de 2018

17. 56 Museu & Enoteca da Real Companhia Velha. Para contemplar o vinho.

Abriu no final do último mês de Agosto, um espaço novo e moderno para falar de 262 anos de história e para celebrar o vinho do Porto e o vinho português.
É o 17.56 Museu & Enoteca da Real Companhia Velha que é o novo centro de visitas da emblemática marca de vinhos do Porto e do Douro.
Um espaço lindo e inovador às margens do rio Douro em Vila Nova de Gaia que vai contar a história do vinho do Porto, no Museu. E vai referenciar a gastronomia e também outros vinhos, na Enoteca.
Uma celebração ao vinho com a cidade do Porto à espreitar...

Fui conhecer o projeto à convite da Real Companhia Velha, antes mesmo dele abrir ao público. E adorei!
1756 foi o ano da Demarcação da região dos vinhos do Douro e da instituição da Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro (Real Companhia Velha). Por isso o nome do Museu 17.56 - mais fácil de memorizar.


A história da mais antiga região regulamentada de vinhos do mundo mistura-se com a história da Real Companhia Velha num espaço repleto de objetos e documentos importantes e únicos.





A interatividade também é pensada para o público mais jovem...

Aqui uma mesa que mostra os vários mercados da Real Companhia Velha...

o Brasil... um dos mercados preferidos
O 17.56 é uma verdadeira linha do tempo em todos os sentidos...


um espaço para contemplar...


Todo museu tem uma loja... e ainda bem que estamos num museu que nos fala de vinhos. A loja está repleta deles...


No piso superior chegamos à 17.56 Enoteca, que para além de apresentar os vinhos da Real Companhia Velha, também tem à disposição os melhores vinhos de Portugal e de famosas regiões produtoras da Europa.
Estamos num espaço para contemplar o vinho...


uma carta com 500 referências de vinhos
Desde confortáveis lounges para quem quer apreciar a vista do Porto ou ainda harmonizar charutos  com vinho do Porto e até uma sala privada para jantares ou provas especiais, tudo é pensado no vinho...




Estamos diante de um projeto inovador cujo conceito é propor uma experiência que harmoniza uma viagem gastronomica e os vinhos, através de diferentes ofertas:

- A Fromagerie Portuguesa com uma variedade de  queijos nacionais e internacionais.
- O chef da Real Companhia Velha, apresenta a tradição da cozinha portuguesa, além de peixes e mariscos.
- O conhecido Shiko, restaurante japonês da cidade do Porto, está presente na 17.56  Enoteca, com suas incríveis criações num estilo "raw bar" nipônico.
- Carnes maturadas e sandes gourmets são apresentadas pelo restaurante Reitoria, também bastante conhecido da Baixa do Porto.


pormenores...
foto: Tom Fakler do blog: Anita's Feast
Lugar de convívio e bons momentos!!

foto: Tom Fakler do blog: Anita's Feast

diversão!
Se vem visitar o Porto ou vive na cidade, fica a dica para conhecer este espaço inovador para contemplar o vinho.

17.56 Museu & Enoteca da Real Companhia Velha
Alameda da Rua Serpa Pinto, 44 B ou Avenida Ramos Pinto
tl. +351 222 448 500

Museu:
Das 10:30 às 19 h
15 €/pessoa - com provas de vinhos (Agosto/2018)

Enoteca:
Das 11 às 23 hs

Vem para o Porto e região?