terça-feira, 31 de outubro de 2017

Do Porto para... os sabores da Caça, Pesca e da Castanha em Bragança.

Esta semana até o próximo Domingo os caminhos para os amantes da gastronomia e da natureza, levam a Bragança, em terra fria transmontana.


Quando o frio começa a chegar, as feiras gastronomicas começam a acontecer em Portugal um pouco por toda parte.
Aqui na região Norte, em Bragança, a Norcaça, Norpesca e Norcastanha  é uma tradição que começou em 2002 e ano após ano  trás para os amantes da natureza e da gastronomia, diversas atividades à volta da pesca, caça e da castanha.

Trouxe uma vez de Bragança, numa das edições deste evento, um belíssimo livro de fotografias de autoria de Maria Adelina Sousa sobre os  castanheiros e as gentes que trabalham na apanha das castanhas. Como sempre, é nestes sítios que entendemos ainda mais a importância dos produtos vindos da natureza...





E por isso, dou um grande valor à gastronomia à volta destes produtos.
E é esta gastronomia que  está sendo cada vez mais valorizada  na Norcaça Norpesca e Norcastanha.

Em Bragança, na Semana Gastronomica, que vai de 27/10 á 05/11, vários restaurantes preparam menus à base de caça, pesca e de castanha e nos dias que acontecem a Norcaça, Norpesca e Norcastanha, várias atividades vão dar destaque aos  pratos preparados à base destes produtos.

Aqui no Porto, a apresentação destes sabores foram apresentados no belíssimo restaurante Oficina, sob o comando do chef Marco Gomes, transmontano da gema. E por isso apresentou com muito orgulho um conjunto de pratos com os sabores relacionados ao tema...

Restaurante Oficina, na Rua Miguel Bombarda, 282

chef Marco Gomes
As suas criações...

Entrada : Truta

Sopa de lebre

Açorda de perdiz

Porco bísaro

e um gran finale com sobremesas à base de castanhas, nas diversas versões

E assim,  Bragança convida os amantes da boa gastronomia portuguesa e da natureza a seguirem os caminhos do Porto até o alto de Trás-os-Montes, parafraseando o escritor transmontano, Miguel Torga:

"Quem não tem medo das alturas, depois de atingir a crista do sonho (o cimo de Portugal), contemplará a própria bem-aventurança"

Toda a programação aqui: www.norcaca-norpesca-norcastanha.pt 



Vale a pena passar por lá um ótimo fim de semana, junto ao ambiente rural...

Veja uma opção de hospedagem na região de Bragança: AQUI

Porque Trás-os-Montes... encanta!







sábado, 28 de outubro de 2017

Casa da Visa. Um refúgio aqui ao lado.

"O seu refúgio de proximidade".
Este é o lema da Casa da Visa, que fica mesmo próximo de tudo, mas num recanto em meio ao ambiente rural. A apenas 7 kms do Aeroporto do Porto, com a estação do metro Vilar Pinheiro a 1 km.
Do Porto está a 20 km, do centro de Vila do Conde 16 km, de Guimarães 55 Kms e para quem gosta de praia, Angeiras fica a apenas 6 kms.

É uma antiga casa agrícola, como tantas naquela região de Vila do Conde, que pertencia à família da Isabel e do Francisco Carneiro e que depois de alguns anos a prepará-la, a partir de Julho deste ano, recebem famílias ou grupos de amigos que queiram ficar hospedados, em um sítio estrategicamente localizado, com a região Norte a explorar.
E também  para quem vive por cá e quer ter uma opção de uma escapada num fim de semana ou mesmo férias para relaxar.
Sim, quem está na Casa da Visa consegue desligar de tudo. O silêncio e a tranquilidade  imperam.


Lá fora, ainda parece que estamos noutros tempos.... tão bons!




Entrada da Casa da Visa, também com acesso ao estacionamento.

Mantendo as características da arquitetura original, o exterior é um convite para estar ali a relaxar e a observar aquelas construções ao redor, todas em pedras, que contam histórias de uma época em que ali se trabalhava muito. Como toda a casa agrícola daquela região, os animais e os cereais ocupavam muitos dos espaços que hoje emolduram a piscina...



O trabalho de restauração da casa é fantástico, e no interior não falta nada para o conforto ideal de umas férias.
São 4 quartos de casal, com decoração clean e com vistas para a natureza lá fora...




A cozinha é toda equipada com tudo o que é preciso, inclusive forno a lenha, para ótimas refeições em família ou entre amigos...


Tudo preparado para se estar bem por lá em dias frios. Com televisão a cabo na sala e todos os quartos, internet com ótimo sinal  e sala de jogos.





Além disso, a casa é repleta de apontamentos charmosos... 


Não houvessem muitas coisas para conhecer na região, eu diria que quase não dá vontade de sair...



E nas manhãs... o pão chega à porta como nos velhos tempos...

um miminho especial para os pequenso-almoços / cafés da manhã

Fica aqui a dica para quem quer se hospedar em família ou com os amigos, bem aqui ao lado do Porto.
De carro, pode chegar a várias cidades na região Norte de Portugal e ainda desfrutar deste "refúgio de proximidade".

Refúgios que encantam!


Casa da Visa
R. Manuel Francisco Silva, 123
Vilar do Pinheiro

Informações e reservas: www.casadavisa.pt   

p.p.



quinta-feira, 26 de outubro de 2017

V Jornadas Gastronómicas do Boi de Trás-os-Montes. No Vinum Restaurant

O Vinum Restaurant e Wine Bar, é um restaurante de excelência não só pela ótima comida, mas também pelas vistas fantásticas sob o rio Douro e a cidade do Porto...


Está junto às Caves Graham's e por isso é uma das programações que eu sempre indico para quem quer fazer uma visita às caves do vinho do Porto, e emendar com um ótimo almoço ou o jantar.
Visitando as caves ou não, a ida ao Vinum sempre vale a pena...

Veja o post sobre as caves Graham's com vistas para o Vinum, neste post: AQUI
O restaurante Vinum é um dos 30 restaurantes do Grupo Sagardi, sob o comando do cozinheiro basco Iñaki Lopes de Viñaspre, que sob o lema "gastronomia das origens", leva para o mundo a tradição da cozinha basca, mas sempre aliada às tradições locais onde se encontram os seus restaurantes.

Para os amantes da boa carne, desde o último dia 24 de Outubro e durante aproximadamente 3 semanas, as V Jornadas Gastronomicas do Boi de Trás-os-Montes, estarão acontecendo no Vinum Restaurant, o que já passou a ser um evento gastronomico do Porto.

Este ano, o evento trás uma novidade, onde a carne de excelente qualidade, do boi velho de Trás-os-Montes, será confrontada com a carne de vaca velha de raça Rubia Gallega, considerada a melhor carne do mundo.


O consultor do Grupo Sagardi e um dos maiores especialistas em carne bovina da Europa, Imanol Jaca, é quem faz as comparações e a escolha criteriosa dos bois velhos e vacas velhas para este evento.
O boi velho, é encontrado em pequenas localidades do Norte de Portugal, em zonas rurais onde são utilizados por muitos anos por pequenos produtores nos trabalhos dos campos ou para consumo próprio. E é daí o segredo da qualidade da carne: o cuidado na sua alimentação e o respeito pelo ciclo da natureza.
A vaca velha Rubia Gallega, vem de uma aldeia montanhosa no interior da Galiza, chegam a pesar de 450 a 500 kilos.

Alia-se a este cuidado com a escolha da carne, um criterioso processo de maturação, e preparação...



Além desta carne de excelência, o menu das V Jornadas Gastronómicas do Boi de Trás-os-Montes, destaca o feijão branco, e os queijos artesanais que acompanham as sobremesas.

Por isso, quem for ao  Vinum Restaurant nas próximas semanas vai poder se deliciar com um Menu preparado com muita critério e qualidade...

Alheira de Mirandela com Maçã

Guisado de Bacalhau com ameijôas e feijão branco

Costeletão de boi velho ou vaca velha com pimentos de piquillo assados


O Queijo Stilton, um queijo artesanal, produzido pelo "Rei do Queijo", Billy Kevan em Nottinghamshire, servido com marmelada de citrinos e doce de maçã, e harmonizando perfeitamente com o Porto Vintage Graham's 1970



E com o charme do local e as vistas fantásticas... que encantam!





Mais informações e reservas:




segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Portugal depois dos incêndios...

O aviso veio do céu. No fim da tarde do Domingo, 15/10/17, o céu demasiado vermelho e o sol por detrás das nuvens de fumo, denunciavam que algo não estava bem. O vento forte e quente também não era normal para uma tarde de Outono...



E na manhã do dia seguinte, as notícias eram realmente as piores. Portugal acordou com regiões totalmente queimadas, com mortes, casas e empresas destruídas.

Apaixonada pelo interior como sou, filha de transmontano e de mãe que nasceu numa aldeia de Viseu, o meu coração apertou-se novamente. Quatro meses depois da tragédia de Pedrogão Grande, o filme se repetia... a cada minuto, as mortes e as histórias tristes iam sendo reveladas.

Eu que tanto adoro andar por este país pelas pequenas estradas, vilas e aldeias, que conheço tanta gente por este interior do país... nem queria acreditar no desespero que alguns deviam estar passando.

Uma foto vinda numa mensagem privada do Elio Silva, proprietário da Quinta da Cerdeira, onde há 4 anos estive a aprender a fazer Queijo da Serra, deixou-me impressionada...

O fogo chegou muito perto da casa na Quinta da Cerdeira, mas nem a casa, o estábulo e a queijaria foram atingidos

veja o post sobre a minha visita à Quinta da Cerdeira para aprender a fazer o Queijo da Serra: AQUI
Menos sorte tiveram outros produtores de Queijo da Serra, que perderam absolutamente tudo, inclusive os animais. Esta é uma das partes mais tristes desta história... milhares de animais que morreram queimados e que eram o trabalho de muitas e muitas pessoas no interior do país...




Num outro cenário, para mostrar que o fogo não perdoou nada e nem ninguém, outra foto impressionou-me na Segunda-Feira após os incêndios.
Foi postada pelo designer Pedro Moreira, que eu conheço por ser  um dos autores de um  blog que eu adoro, o  Bebes ponto Comes, mostrando como ficou a unidade da Sanindusa,  empresa que trabalha, na região de Cantanhede...


Uma semana se passou, muito há para fazer. Numa onda de solidariedade todos estão ajudando um pouco e muito! As doações não páram. E as primeiras ações estão sendo feitas. 
Mas muito ainda deverá ser feito. 
E tenho a certeza que a força dos portugueses, e a sua capacidade de sofrer, cair e erguer-se, vão fazer com que se agarrem na vontade de reconstruir.

Tenho pensado no país daqui a alguns meses... quando não se falarão mais das tragédias. E quando as pessoas voltarem a olhar para os grandes centros e esquecerem novamente de um país tão lindo que fica a maior parte do tempo... escondido.

E foi por isso que resolvi escrever este post. Para convidá-lo, leitor, a viajar por Portugal.
Se você vive no país, descubra ainda mais os seus recantos.
Se você vem do Brasil, certamente precisar chegar pelo Porto ou por Lisboa, mas saiba que entre estas duas cidades, e além delas, existe muito para conhecer.
Lugares que não queimaram e que estão lá a espera de serem conhecidos.



Lembro-me que no início de Outubro, numa viagem que fiz para o Alentejo, passamos por uma grande parte da área atingida pelos incêndios de Junho...


Resolvemos então parar para almoçar em Pedrogão Grande, seria talvez uma singela ajuda para a economia local.
O que encontramos, foi uma das muitas pequenas vilas silenciosas de Portugal que só são vistas, quando gritam por socorro, como foi o que aconteceu.
Uma vila com pequenos encantos e com uma linda Igreja Matriz...



Visitar estes cantinhos de Portugal, vale muito a pena. É neles que pode conhecer a identidade de um país que além de ter pessoas fantásticas, tem excelente gastronomia, vinhos e monumentos históricos por toda a parte.
Nestas pequenas vilas, as pessoas tem tempo para conversar, para contar histórias e  adoram mostrar o que sabem fazer...


Está pensando em fazer o Caminho de Santiago? Faça o Caminho Português, e vai passar por lugares lindos e ver pessoas que adoram trabalhar a terra...




Veja os relatos do meu Caminho Português para Santiago: AQUI


Claro que visitar as grandes cidades e as mais conhecidas é fundamental, mas... aproveite para descobrir ainda mais cantos e recantos de um pais tão bonito no seu interior.
Acredite que vai lhe preencher a alma, com tantas coisas lindas e saborosas que se encontram por aqui.

Por tudo isso, viaje por Portugal.

Porque o Porto encanta... e Portugal, também!