sexta-feira, 6 de abril de 2012

É mais que uma livraria... é um templo.

Quem anda pela Rua das Carmelitas próximo à Torre dos Clérigos (um dos ex libris da cidade) vê um edifício, que já do lado de fora  é diferente.



Mas é do lado de dentro que ele é mesmo...diferente...único...especial.



Quem é amante dos livros e quem não é...não consegue passar por ali sem entrar.
A Livraria Lello faz parte do circuito turístico da cidade, está assinalada nos mapas turísticos, é passagem obrigatória, para quem visita e para quem aqui vive.



Quando eu fiz este post, os sinais de proibido fotografar estavam em todo lado. Só podia ser fotografada com autorização especial.














Atualmente isto mudou. Já se pode fotografar livremente dentro da livraria. Mas para entrar lá, é preciso pagar 4 euros, que podem ser descontados na compra de um livro.
Esta medida teve que ser tomada, porque com o crescimento do turismo no Porto, era impossível circular dentro da Lello e ainda por cima, as pessoas entravam, fotografavam e iam embora, não há negócio que se sustente desta maneira. E hoje em dia, isto está funcionando muito bem entre turistas, locais e a própria Livraria Lello.


Bom, a Livraria Lello é considerada pelo jornal inglês The Guardian a 3ª mais bela livraria do mundo. Mas há quem a considere a mais bonita do mundo.


 
A  majestosa escada vermelha no centro, o vitral ao alto, os detalhes trabalhados nas paredes, as antigas prateleiras com portas de vidro que estão lá desde a fundação em 1906, tudo nos faz acreditar que estamos num templo. O Templo da Sabedoria. O Templo dos Livros.






Sim, os livros estão lá. São muitos...mais de 120.000 títulos, por entre prateleiras, nos balcões, no chão.
Todos os assuntos, todos os autores, editoras, livros, livros e mais livros. É quase impossível sair de lá sem levar algum.









Uma das muitas curiosidades da livraria, diz respeito ao Brasil. Já que o Jô Soares, quando vem ao Porto lançar algum livro, faz questão de o fazer na Lello. Além de que algumas cenas do filme baseado no livro de sua autoria: O Xango de Baker Street, foram filmadas  nesta livraria.



Mas uma coisa eu garanto, podemos olhar todas as fotografias que já foram tiradas da Livraria Lello, mas a sensação de se estar  dentro de um Templo de Livros, só mesmo para quem a visita pessoalmente.

Quer saber mais sobre a história da Livraria Lello, clique aqui.
Todas as fotos estão no álbum do Facebook/OPorto encanta.


 Meu agradecimento especial à Dona Manuela, que está lá quando a livraria não está aberta, sempre pronta para receber o pessoal que tem que fazer este trabalho como o meu.

2 comentários:

  1. A visita à livraria Lello é o principal item da minha lista nessa viagem ao Porto. Aliás, a escolha por descobrir Portugal começando pelo Porto foi feita justamente em função da livraria :)

    ResponderExcluir
  2. Cheguei de Portugal há uns dias e a minha maior decepção foi justamente a Livraria Lello. Esta senhora da foto realmente é um amor de pessoa, mas do seu chefe não posso dizer a mesma coisa. Explico: fui a livraria num dia a tarde e descobri, atraves dos avisos que para tirar fotos era somente no horario de 8 as 9h da manhã. No dia seguinte estava lá as 8:45h e havia um grupo bem grande de franceses do lado de fora e a porta fechada. Quando a D.Manoela veio abrir a porta para algumas pessoas sairem, perguntei se havia uma fila, como era pra entrar? ela me disse que já não podia entrar. Fiquei espantada pois o aviso dizia até as 9h. Ela fez um jesto que não podia fazer nada e, como fiquei na porta olhando pelo vidro veio uma pessoa da livraria (infelizmente não se identificou, mas estava falando em nome dela) falar comigo que se eu queria fotografar teria que chegar mais cedo e que já tinha muita gente lá dentro (eu vi umas 6 pessoas) e para finalizar ele me disse que ainda ESTAVA ME FAZENDO UM FAVOR, deixando fotografar!!! Foi muito decepcionante... não recomendo a ninguem chegar cedo para fotografar. Vai, visita, e se quiser uma foto, a internet está cheia.

    ResponderExcluir