domingo, 18 de janeiro de 2015

Um edifício que é a própria história da cidade do Porto. A Casa do Infante.

Um dos edifícios mais antigos do Porto, hoje abriga um museu, chama-se Casa do Infante e fica bem próximo da Ribeira do rio Douro.





Inicialmente foi ali que o rei D. Afonso IV, em 1325 mandou construir a sua própria Alfandega, numa época em que  a cora e o bispo disputavam os impostos das mercadorias que circulavam na cidade.

Por estar à margem do rio e próximo do mar, o Porto foi sempre uma cidade mercantil, de negócios e de comerciantes. E fazer uma visita a este edifício medieval, leva-nos a conhecer muito da história da cidade, além de poder apreciar detalhes da arquitetura daquela época...



Eu cada vez que vou à Casa do Infante me encanto com os detalhes e as histórias que podemos por lá descobrir. Até porque, é lá que encontra-se o Arquivo Histórico da Cidade e durante a semana podemos pesquisar vários assuntos relacionados com a história da cidade. Inclusive conhecer documentos raríssimos e de séculos atrás...

pode ver um post sobre o Arquivo Histórico do Porto: AQUI

Logo no início da visita à Casa do Infante, encontramos uma série de ruínas e vestígios da época romana, comprovando que o Porto, ou melhor, esta região onde se encontra a cidade, já era habitada desde os séculos III e IV, como podemos observar neste pavimento mosaico policromo típico daquela época...


ruínas de construções romanas, descobertas abaixo do edifício da antiga Alfândega...



A seguir, uma das coisas que mais prende a minha atenção na Casa do Infante é a maqueta da cidade na sua época medieval... sou capaz de ficar ali uns bons minutos a apreciar aquelas ruelas que eu hoje tanto gosto de caminhar e que naquela altura eram de terra batida e com subidas muito mais difíceis...



Olhar para aqueles telhados e edifícios e saber que são tão antigos e que muitos deles ainda estão lá fora... me emociona...




ter a perfeita noção de como era a cidade cercada pelas muralhas...


Aqui a representação do edifício da Alfandega com as suas duas torres, que também abrigava a Casa da Moeda, onde curiosamente Pero Vaz de Caminha trabalhou como mestre da balança.



Os pisos superiores das torres eram destinados a habitações, onde teria nascido o Infante D. Henrique, patrono dos descobrimentos portugueses...


Por isso, hoje o nome do museu, Casa do Infante...


Por entre salas e expositores, vamos também conhecendo como funcionava a entrada de mercadorias na cidade.





Vamos conhecendo unidades de pesos e medidas dos tempos medievais...



selos que as mercadorias só recebiam, após o desembargo


Os principais produtos que circulavam na alfândega naquela época, eram objetos utilizados no dia-a-dia das pessoas da cidade. Vindas do Oriente, Brasil, norte da Europa ou outros pontos de produção do país. A cerâmica era um desses produtos nas suas diversas versões.






Mas também podemos encontrar no museu, muitos produtos que eram fabricados nas industrias de cerâmica e fundição da própria cidade do Porto...



Com o surgimento desta Alfândega, a cidade cresceu, tornando-se um forte polo economico. Criando-se assim novas ruas, vida urbana desenvolveu. Surgiram bem próximo dali o Palácio da Bolsa e muitos outros edifícios...


Mais de  500 anos, foi o tempo em que este edifício abrigou a Alfândega do Porto, que no século  XIX foi transferido para o novo edifício em Miragaia. Mas isto é para uma outra visita, um outro post.

Fica a dica para quem vem ao Porto: conhecer este edifício medieval, cheio de história e que também apresenta exposições temporárias muito interessantes.
E para quem vive no Porto: conhecer a Casa do Infante, é conhecer a história da cidade.

Casa do Infante:
Rua da Alfândega, 10
casadoinfante@cm-porto.pt
+351 222060400


Horário de funcionamento

Casa do Infante - Museu
3.ª feira a domingo das 10h00 às 13h00 (última admissão às 12h30)  e  das 14h00 às 17h30 (última admissão às 17h00)
encerra à 2.ª feira e feriados
Casa do Infante - Sala de Exposições
2.ª a Domingo das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30

Gratuito nos fins de semana.
Entrada nos dias úteis: 2,20
gratuíto para menores de 14 anos, alunos e professores de qualquer grau de ensino, adultos com mais de 65 anos. 
(informações: Casa do Infante)

3 comentários:

  1. Bom dia,
    O meu nome é Carla Ramos, estudante do Mestrado em Turismo da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Neste momento encontro-me a realizar a dissertação de mestrado que visa compreender o perfil e as motivações dos visitantes da Casa do Infante – Museu.
    Para tal, elaborou-se um inquérito para traçar um perfil do visitante que visita a cidade do Porto e a Casa do Infante.
    Agradeço a vossa colaboração no preenchimento deste inquérito que é fundamental para o desenvolvimento do meu projeto.

    Segue-se o link do inquérito: http://goo.gl/forms/Eh0q4cE0iM

    Obrigada pela colaboração!

    ResponderExcluir