segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

900 anos do Cabido Portucalense, 900 anos de história da cidade.

Na semana passada, a Sé Catedral transformou-se num grande palco para receber uma interpretação teatral muito especial...





um espetáculo acompanhado de coro e orquestra...




que contou com a participação de 60 figurantes e também com a participação popular...



o "Santa Maria do Porto, o tempo e a memória", apresentou através de narrativa e interpretação, a história da nomeação do primeiro bispo do Porto no ano de 1113.
Em tempos onde a igreja e a política eram intimamente ligados, assistir a um espetáculo destes é aprender um bocado sobre a história do Porto...


Francês, vindo da Sé de Compostela, Dom Hugo foi uma figura importantíssima na história da cidade.
Criou a Diocese do Porto, separando-se assim da Diocese de Braga, criou o Cabido Portucalense, uma comunidade de eclesiásticos que aconselhava o bispo nas suas funções da Diocese.
Iniciou a construção da atual Catedral e mandou também construir a primeira muralha defensiva do Porto, a Muralha de Pena Ventosa.

Entre narrativas, música e interpretações, fiquei a saber mais um bocado sobre um período tão antigo e tão importante da cidade do Porto... 900 anos de história!





Aqui, a rainha D. Teresa, ao lado do seu filho Dom Afonso Henriques, fazendo a doação do burgo portucalense e seu couto à Sé e ao Bispo D. Hugo

 D. Hugo rapidamente ficou muito próximo da população da cidade.


E o melhor deste espetáculo, foi quando o bispo, em oração com o seu Deus, afirmando que as gentes do Porto eram muito diferentes e especiais, com uma identidade muito própria, pede então a Deus... proteção.
Proteção para governar a Igreja e as gentes do Porto!

900 anos se passaram, e D. Hugo tinha razão, as gentes do Porto são mesmo especiais!
Fazem parte da história da cidade, da sua identidade... e encantam!

Santa Maria do Porto - o Tempo e a Memória:

Direção Musical: Dr. António Ferreira dos Santos
Texto: Prof. Doutor Luís Carlos Amaral
Direção de Guarda-Roupa: Manuela Bronze

Encenação: Júlio Cardoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário