domingo, 4 de dezembro de 2016

Do Porto para... os tesouros históricos do Douro. Nos Mosteiros de São João de Tarouca e Santa Maria de Salzedas.

A região do Douro não é só vinhos, não é só vinhas e não é apenas enoturismo.
Há um tesouro arquitetonico, artístico e cultural, no Vale do Varosa, nas encostas do rio Varosa, um afluente do rio  Douro, localizado entre Lamego e Tarouca, que faz parte da história de Portugal e que vale muito a pena conhecer.
Posso dizer que é quase um segredo, porque foi ali, que no início do século XII, instalou-se uma comunidade de eremitas, pertencentes à Ordem de Cister, uma ordem  monástica católica reformada, e que tinha como uma de suas convicções, a oração em solidão.
Por isso, os seus mosteiros surgiam em locais muito isolados e distantes.
Mas... podemos ficar tranquilos porque hoje em dia, com as modernas auto-estradas e estradas nacionais, estes tesouros estão a pouco mais de uma hora de carro a partir do Porto.
Estou falando nomeadamente de dois Mosteiros, que foram erguidos entre 1156 e 1168, que tiveram forte influência no futuro da região do Douro, já que trouxeram junto com a espiritualidade, a cultura e o saber. O Douro passa a ser então uma região vitivinícola de qualidade, chegando a ser o que todos nós conhecemos hoje, o belíssimo Patrimonio da Humanidade, classificado pela UNESCO.

Sã os Mosteiros de São João de Tarouca e de Santa Maria de Salzedas, que tive o prazer de conhecer durante a viagem #oDouroChama organizado pela AETUR, que me surpreenderam pela história e pelo valor artístico que encontramos em cada um deles.
As duas visitas foram enriquecidas com a companhia do Sr. Luis Sebastian, que é o coordenador do projeto que  vem desenvolvendo a requalificação do Vale Varosa, nomeadamente os seus monumentos históricos.
Foi uma honra conhecer estes dois mosteiros através dos olhos e da sensibilidade de quem dia após dias vem descobrindo e redescobrindo os segredos de cada um dos vestígios deixados ali através dos tempos.

O Mosteiro de São João de Tarouca, teve sua construção iniciada em 1154, foi o primeiro mosteiro masculino da Ordem de Cistre em Portugal e está ligado à figura de D. Afonso Henriques e a nacionalidade.
Com o passar dos séculos foi sofrendo várias modificações e a sua igreja tem um valor artístico riquíssimo.




Trabalhos fantásticos em madeira talhada, pintura e azulejos...











o belíssimo órgão na lateral, apresenta um trabalho rico em pormenores...


O estilo arquitetonico da igreja, no seu exterior vai do românico ao gótico.
E é mesmo ali ao lado que nos surpreendemos com as ruínas do antigo mosteiro, que por imposição das extinções das Ordem Religiosas em 1834, foi quase que totalmente destruído.


Mas um trabalho fantástico de arqueologia vem sendo feito desde 1998, onde é possível fazermos uma visita quase que de descobertas de espaços que ali existiram.
Uma viagem no tempo!




Ali... bem no coração do Vale do Varosa



A história quase que se repete com relação ao Mosteiro de Santa Maria de Salzedas. 
Sua construção foi iniciada em 1168 por ordem de Teresa Afonso, a segunda esposa de Egas Moniz, o aio de Afonso Henriques~(primeiro rei de Portugal). Este também foi um mosteiro masculino que foi ampliado durante os séculos XVII e XVIII, onde foi construído um imenso e belíssimo claustro...





este mosteiro, não foi totalmente destruído, por isso permite que andemos por ali a apreciar a riqueza de trabalhos artísticos quase que entranhados nas paredes. Uma verdadeira viagem no tempo...







Uma viagem histórica e cultural conhecida através do fantástico trabalho do Sr. Luis Sebastian que vem coordenando este trabalho de requalificação que merece ser visitado!

Um passeio inesquecível pelas memórias do Douro que pode ser complementado por entre as ruelas de Ucanha, a aldeia vinhateira que fica ali ao lado do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.



 e da sua belíssima ponte fortificada e os seus moinhos de água...



Os encantos de uma região que vai além dos vinhos!



Todas as informações para visitar os mosteiros do Vale do Varosa em: valedovarosa.pt


Nenhum comentário:

Postar um comentário