quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

As artes de um artesão... escondido.

É comum andarmos pelo Porto e se espreitarmos por portas abertas que nos levam muitas vezes a espaços pequenos, cheio de objetos e prateleiras, encontramos lá dentro alguém concentrado no seu trabalho...


Muitas vezes pessoas solitárias a exercer profissões já quase esquecidas...



Estão sempre  a trabalhar em suas paixões. Foi assim que eu descobri o artesão Sr. Nelson Luis....


Num simples acaso, numa rua completamente fora do circuito turístico, é que eu espreitei para dentro de uma porta minúscula e descobri um mundo em miniaturas...


Sim, o Sr. Nelson é um portuense de Cedofeita, apaixonado por miniaturas e depois de exercer várias profissões, e viver em vários lugares, decidiu um dia viver desta sua paixão. E trabalha todos os dias com muito boa disposição para criar e tornar realidade os desejos dos clientes que passam pelo seu atelier.
Como é o caso de uma senhora que tinha algumas peças em miniaturas em sua casa, e resolveu colocá-las todas em um palacete, e assim ele o fez...


Com todos os comodos e detalhes que uma casa "grandiosa" como esta tem que ter.
Com candeeiros acesos inclusive...




Quase escondido no seu atelier há quase 30 anos na Areosa, ele dá asas a imaginação.



E realiza os mais diversos pedidos que lhe chegam de vários pontos da cidade e não só.
Numa conversa de mais de uma hora, o Sr. Nelson Luis foi me contando quase metade da sua vida e porque gosta tanto deste seu trabalho.
Gosta de criar coisas novas e exclusivas em cada trabalho que faz. E gosta de desafios.
Como este que ele agora está a trabalhar. Uma casa de pedras típica da região do Minho, que uma cliente lhe pediu para fazer. Cópia da sua casa verdadeira, que ela lhe apresentou em várias fotografias e assim ele está a construí-la, tentando ser o mais fiel possível...




Uma das suas lembranças mais fortes da juventude era quando ele ia passear numa aldeia transmontana na região de Montalegre, com familiares de um amigo.
E por isso, adora recriar as casas das aldeias portuguesas...


Com riquezas de detalhes incríveis...





Tudo vem acompanhado com uma outra paixão... a poesia que ele escreve no verso dos seus trabalhos...


Trabalhos que demoram por vezes 2 a 3 meses, 12 a 13 horas por dia. Todos os dias...


Mas que lhe dá muito orgulho e satisfação...


E é com orgulho que ele mostra o seu primeiro trabalho em miniaturas, que ele fez quando ainda tinha 23 anos.
Uma série de ferramentas e objetos que desde muito novo ele foi aprendendo a observar, para depois recriar...


e quase 40 anos depois, ele segue a fazer tudo isto com a mesma paixão.
Um trabalho digno de um artesão, feito com muita paciência, criatividade e dedicação...



Porque o Porto é assim... uma cidade de gente com muito talento.
Muitos famosos, que vemos por toda a parte.
Mas muitos deles, anonimos, "escondidos" em seus pequenos espaços entretidos com as suas artes.
Vale a pena entrar por estas portas e conhecer estas pessoas com muitas histórias para contar e trabalhos incríveis para nos mostrar.

Para quem gosta de miniaturas:
Nelson Luis - Artesão
Rua D. Afonso Henriques, 944
Rio Tinto
tl. +351 936033445



4 comentários:

  1. Conheço o artista,é uma pessoa humilde mas com uma alma de artista enorme,é uma pessoa que de quarquer coisa fáz uma obra de arte.Parabens Nelsom.
    Obrigada Rita Branco por permitir que outros possam vêr estas belas obras do Nelsom Luis Azevedo.

    ResponderExcluir
  2. Já agora, porque se trata da "veia artistica" familiar, pois o Nelson é meu sobrinho, convido a visitar alguns dos meus trabalhos, postados no meu blog: 'para ti criei as rosas'

    ResponderExcluir
  3. "Papoilas ao vento" muito obrigada por palavras tão gentis. Foi um privilégio para mim ter descoberto o Sr. Nelson Luis, e aproveito para lhe dar os parabéns, as suas telas são lindas. Que família de artistas! Cumprimentos!

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigada,Rita Branco,foi uma partilha bonita,fiquei feliz pelo o meu sobrinho e por mim,mas muito mais por ele. Obrigada.
    Um abraço.
    Branca Azevedo.

    ResponderExcluir