sexta-feira, 15 de junho de 2018

A Varanda da Saudade. Na Sé do Porto.

O Porto tem dessas coisas...

Quem visita a Sé do Porto, a região mais antiga da cidade, onde o Porto nasceu, e onde encontramos pessoas cheias de orgulho por lá viverem, pode ter a sorte de a qualquer momento, ouvir fado vadio (cantado pelos moradores da região) e ainda participar de uma festa de rua das mais genuínas!
É ali na primeira casa da rua Escura que está a Varanda da Saudade.
De frente para a Catedral, o fado é apreciado por quem por lá passa para visitar e pelos moradores...



um público mais que especial
É uma festa das pessoas da Sé, para as pessoas da Sé. Organizada pelos próprios moradores, a festa só acontece quando a Sé quer. Sem dia e nem hora marcada com muita antecedência.
Explicou-me o senhor que tratava de cobrar a entrada para o "WC": a gente decide uns dias ou um dia antes, nos juntamos e fazemos a festa.
Se na Varanda da Saudade canta-se o fado, abaixo dela preparam-se e vendem-se os petiscos. Porque não há festa popular sem eles.



Os turistas sobem e descem param para tirar fotos e ouvir uma ou duas músicas, mas os locais, estes vão ficando sem pressa que a festa acabe.




No Porto típico
E quem vai à Varanda da Saudade, canta um fado com sentimentos. Um fado genuíno...




E os iniciantes também são bem-vindos. Como este jovem que já canta com toda a emoção que lhe vem a alma...



Uma festa democrática, uma espécie de São João... mas pode acontecer a qualquer momento...


por isso, quando for visitar a Sé Catedral dê sempre uma espreitadela para a rua Escura. Pode ter a sorte de ouvir fado na Varanda da Saudade e sentir de perto a energia dos portuenses da gema!
Onde o Porto é Porto mesmo.

Porque o Porto encanta e a Varanda da Saudade... também!


quinta-feira, 7 de junho de 2018

Do Porto para Braga e Guimarães no mesmo dia? Veja porque não vale a pena.

Numa espécie de "mea culpa", faço este  novo post,  apesar de no início do meu blog,  defender a ideia de que era possível conhecer Braga e Guimarães no mesmo dia.
Mas mais de 6 anos já se passaram e é hora de rever este conceito.
E por que?

Porque o turismo em Portugal mudou, porque as duas cidades mudaram e porque a maneira de fazer turismo também mudou.
Turismo feito sem pressa é turismo de qualidade. A tendência agora é ficar mais tempo num mesmo destino, para conhecer tudo com calma, desfrutar de experiências locais para sair de uma cidade com a sensação de que a conheceu de verdade, e não apenas passou por ela  para tirar fotografias em frente a um monumento.
Braga e Guimarães também mudaram. Com o crescimento do turismo no Porto, as duas cidades que ficam a  aproximadamente uma hora, também passaram a receber mais turistas e por isso estão mais preparadas para receber os seus visitantes. 
Com mais vida, mais gente nas ruas,mais eventos a acontecer e mais lugares para conhecer.

Visitar as duas cidades é como entrar por séculos da história de Portugal. 
Em Braga, desde as ruínas romanas, passando pela força da Igreja com a primeira Catedral do país e a exuberância do Santuário do Bom Jesus do Monte, passear pelas movimentadas ruas do comércio tradicional e pelas ruelas do Centro Histórico e ainda se gosta de arquitetura moderna, vai se encantar com o estádio de futebol do Braga, construído a partir de uma pedreira. 

vestígios de uma cidade romana que ainda se chamava Bracara Augusta - aqui as ruínas das Termas


A Sé de Braga, merece uma visita alargada para apreciar todos os pormenores da sua fachada e também toda a sua beleza interior, além de conhecer capelas quase "secretas" e um museu de arte sacra onde está guardada a Cruz que foi utilizada na Primeira Missa, na ocasião do descobrimento do Brasil.

Braga é dinamica, coma sua população jovem a dar vida aos seus antigos monumentos

os jardins de Braga são lindos e vale a pena passar com calma por eles e admirar o cuidado com que são mantidos

ruelas com história

A grandiosidade do Santuário do Bom Jesus do Monte não pode ser admirada com pressa... é muito beleza para ver a correr

Já em Guimarães, a cidade berço, onde nasceu Portugal e o seu primeiro rei, D. Afonso Henriques, entramos em uma viagem histórica ao percorrermos as suas  ruelas e praças muito antigas e cheias de charme.
Em terras onde grande guerreiro galaico Vimara Peres viveu, no séulo IX, quando lutou contra as invasões mouras aqui ao Norte, e onde a condessa Mumadona construiu um mosteiro que foi protegido por uma muralha e um castelo, Guimarães leva-nos pelo período medieval no seu Centro Histórico.
Museus, igrejas e cantinhos secretos merecem toda a atenção na sua visita à Guimarães.
Sem contar a ida ao Paço dos Duques que é um dos edifícios mais visitados de Portugal, dono de uma arquitetura soberana e um acervo fantástico de obras de arte. Vale a pena visitar sem pressa este monumento que é a casa oficial do Presidente da República quando este se desloca ao Norte do país.
Além disso vale a pena ver tudo do alto a partir do teleférico que leva ao belíssimo Parque e Santuário da Penha.

o surgimento da nacionalidade portuguesa é expressa em Guimarães

a imponência do Paço dos Duques

a história é contada com charme em Guimarães

o cantinho quase "secreto" na região dos couros
E claro que se estamos no Norte de Portugal, na região do Minho, não podemos sair com pressa, sem antes provar as delícias da gastronomia regional e o famoso vinho verde...




Para quem quer visitar estas duas cidades a partir do Porto no comboio/trem, a viagem dura aproximadamente uma hora e o bilhete ida e volta custa 6,40 € (preço de 2018).
É um dos Passeios que adoro fazer!

 Um dia em Braga e outro dia em Guimarães com um casal de turistas brasileiros.
Sem pressa e com ótima disposição
(a quem eu agradeço o envio das fotos)

Se vai viajar de carro por Portugal, pesquise AQUI  para alugar o seu veículo.

Se não quiser ir e voltar no mesmo dia na sua visita entre as duas cidades, também pode optar em dormir em Braga - escolha o seu hotel: AQUI, ou em Guimarães: AQUI.
E neste caso, a distância entre as duas cidades é de apenas 15 minutos de carro.

Turismo com qualidade é sentir e se encantar pelo seu destino e não apenas... passar por ele.

Porque o Porto encanta. E Braga e Guimarães... também.



Vem para o Porto e região?