terça-feira, 31 de maio de 2016

Do Porto para Santiago. Por que o Caminho Português encanta?

Foi com orgulho que completei o meu Caminho de Santiago, a partir do Porto, caminhando 260 kms até Santiago de Compostela pelo Caminho Português Central.
Não poderia ser diferente. Alguém tão apaixonada pela cidade do Porto, sabendo da importância da passagem do Caminho Português pela Sé Catedral, atravessando a cidade do Porto e a fantástica região do Minho, não poderia fazer outro Caminho.
É certo que os caminhos de Santiago podem iniciar onde cada um bem entender, mas para mim, em particular, tudo tinha que ser muito especial... e assim o foi.
Desde o dia que me emocionei ao levantar a minha Credencial do Peregrino na Sé Catedral...


até o dia da partida, onde eu e a minha amiga Elena Paschinger do blog Creativelena e muitos, muitos outros peregrinos, esperamos pacientemente a abertura da Catedral do Porto, para no dia 15 de Maio, depois de alguns minutos de reflexão, nos despedimos do Porto, com os nossos corações abertos para tudo que iríamos encontrar...


sem os nossos computadores por 13 dias, apenas os nossos blocos de anotações. foto: Anita's Feast
recolhendo os carimbos necessários, comprovando a nossa passagem pelo Caminho...



para finalmente, com orgulho, receber a Compostela em latim e o Certificado da distância desde o Porto, pelo Caminho Português...

meu nome em latim: Ritam

certificado da distância percorrida


e fazer todas as reflexões sobre o Caminho diante do túmulo de Santiago. Sim, mais importante do que as fotos em frente à Catedral, à missa dos peregrinos e ao abraço na imagem de Santiago, reserve uns minutos para estar diante do seu túmulo...


Tudo foi muito bem pensado, afinal, o Caminho de Santiago não é uma simples aventura.
Fica aqui a primeira dica: se você vai em busca apenas de aventura, melhor escolher os ínúmeros e belíssimos parques naturais que existem em Portugal e neles vai encontrar o que procura.
O Caminho de Santiago é uma peregrinação. Das maiores e mais importantes da cristandade. Por isso o importante significado de fazermos de uma Catedral à outra.
Vale lembrar que Santiago foi o apóstolo de Jesus Cristo que evangelizou toda a região da Galiza, e quando regressou à Palestina, foi brutalmente assassinado. Os seus discípulos trouxeram o seu corpo para ser sepultado em Arcis Mormoricis, atualmente, Santiago de Compostela, ficando ali esquecido, até que 800 anos depois, um ermitão, encontrou o seu túmulo, sendo  então  reconhecido como o túmulo de Santiago. Iniciou-se a partir daí uma grande peregrinação, que até hoje, atrai milhares e milhares de peregrinos vindos de todas as partes do mundo. Cristãos ou não, mas com muita espiritualidade.

No livro (guia do Caminho) que a minha amiga Elena Paschinger ofereceu-me (comprado aqui mesmo no Porto, na Livraria Lello) e que foi a nossa grande inspiração para começarmos a pensar em fazer o Caminho, o autor Sérgio Fonseca é muito feliz nas suas palavras iniciais:
"... quando estava a atravessar a Serra da Labruja, ao ver tantas pessoas de idades, credos e nacionalidades diferentes é que me apercebi que aquilo não era uma simples rota que me levava a Santiago, mas sim um Caminho que poderia mudar uma vida.
O Caminho é uma peregrinação, logo não deve ser feito como uma corrida.
Não passes pelo Caminho , mas deixa que ele passe por ti e aproveita tudo que ele te pode dar. Possivelmente vais passar por momentos difíceis e até pode surgir a vontade de desistir, mas o Caminho vai dar-te  a ajuda de que precisas..."



E foi exatamente com este espírito que eu e a minha amiga Elena, enfrentamos o Caminho.
O nosso Caminho: #duasbloggersumcaminho
Deixamos que o Caminho nos conduzisse. Apreciamos e desfrutamos cada metro percorrido.
O que não está nas nossas milhares de fotografias, são as dores, o cansaço, a fadiga física e emocional e as nossas reflexões.
Isto sim, foi o que nos fez ser grandes. Isto sim, foi o que nos fez perceber o verdadeiro significado do Caminho. Do nosso Caminho e dos muitos peregrinos que fomos encontrando e trocando experiências.

O certo é que quando olhar para as muitas setas que sinalizam o Caminho de Santiago pelas ruas do Porto, vou sentir respeito e orgulho...



E nunca mais, vou passar por um peregrino, sem lhe desejar: "Bom Caminho!"

Mas... afinal, por que é que o Caminho Português... encanta?


Como no princípio, praticamente "todos os caminhos levavam a Santiago", foi preciso estabelecer regras para se definir os Caminhos, que hoje são 8, sendo o mais famoso, o Caminho Francês, onde são precisos pelo menos 30 dias para ser percorrido.
Por ser o mais famoso, hoje está totalmente massificado, repleto de peregrinos por toda a parte tornando quase impossível estarmos por muito tempo com os nossos próprios pensamentos...
Em conversa com outros peregrinos (inclusive espanhóis) em pleno Caminho Português, descobri que o Caminho Francês, a certa altura pode se tornar exageradamente cansativo por apresentar a mesma paisagem por centenas de Kms, o que já não acontece no Caminho Português.
Eu diria que no Caminho Português Central (o que eu fiz), a cada curva encontramos uma surpresa...







A paisagem está a mudar constantemente. As sombras das árvores nos reconforta, as pessoas que trabalham no campo nos encorajam e os animais e as flores (em se tratando da Primavera), vão tornando cada etapa diferente da outra, cada uma com os seus encantos...






terra de vinho verde!




a magia do Caminho!
O Caminho Português Central, é o caminho que se destaca dos demais caminhos portugueses, porque segue o traçado da estrada real Porto-Barcelos-Valença, passando pela belíssima vila de Ponte de Lima.

Barcelos
Ponte de Lima
Valença


No seu traçado, encontramos diversas igrejas e capelas de vários tipos de arquiteturas, muitas delas construídas em homenagem à Santiago...








 além de muitas imagens, pontes, fontes e cruzeiros...






O Caminho Português é muito bem sinalizado, o que nos faz sentir seguros...







no Caminho, nos sentimos no Caminho, sempre...





E nos sentimos em casa, quando encontramos nas excelentes opções de hotéis e casas rurais, nas várias localidades onde temos que parar, o merecido descanso e a amabilidade dos locais...







E a fantástica gastronomia do Norte de Portugal e da Galiza...







E é a partir desta experiência fantástica que entre um post e outro, sobre o Porto e tantas outras coisas,  eu vou partilhando com os meus leitores todas as dicas e recomendações que podem ajudar cada um a escolher e a realizar o seu próprio Caminho! Sempre na nova secção do blog: 
o caminho português de santiago.

Começo por dizer que é fundamental escolher uma excelente companhia. Como o que aconteceu comigo. 
Obrigada Elena Paschinger!

E fazer o caminho por algo ou por alguém, também nos dá forças para continuar. 
E como eu descrevi neste post da preparação do meu Caminho: AQUI, a minha grande inspiração, foi fazer o Caminho pelos meus pais. E assim, o fiz...



Acompanhe os próximos posts.

#duasbloggersumcaminho teve o apoio de:


9 comentários:

  1. Parabéns Rita pelo Caminho repleto de afetos. Também cumpri o meu, pela Costa. Esta viagem a nós recomendo-a a todos quantos queiram sentir o perfume da vida e do SER. Um dia voltarei a fazê-lo sem relógio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada António! É certamente uma viagem muito especial.

      Excluir
  2. Parabéns pelo seu sucesso no caminho português. Já fiz em 94 o caminho francês e agora em abril de 2017 farei o português central..maluca para chegar o dia...
    .

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo seu sucesso no caminho português. Já fiz em 94 o caminho francês e agora em abril de 2017 farei o português central..maluca para chegar o dia...
    .

    ResponderExcluir