quinta-feira, 7 de abril de 2016

Histórias de outros séculos. A Rota do Pão... para a cidade do Porto.

No Verão do ano passado, fui até Valongo, para conhecer onde eram feitos os  pães que abasteciam a cidade do Porto entre o séc. XVII e meados do séc. XX.

Uma verdadeira viagem no tempo...

Se não viu o post sobre este Roteiro das Padarias de Valongo, conheça a história dos pães que abasteciam a cidade do Porto em outros tempos: AQUI
No Sábado passado, voltei a Valongo para ir mais além. A proposta era fazer a pé, a Rota do Pão de Valongo ao Centro do Porto, até o local onde a tempos atrás existia o Mercado do Pão, passando por onde estaria uma das portas da Muralha Fernandina, justamente no Dia Nacional dos Centros Históricos, quando a muralha medieval do Porto era a grande homenageada.

13 km é a distância a percorrer, recriando o percurso que as padeiras faziam a pé, com burros ao seu lado, carregados de pães, regueifas (o tipo de pão que era fabricado em Valongo) e biscoitos.

uma aventura! já que a previsão era de...chuva!

Da belíssima Igreja Matriz de Valongo, um grupo de 48 pessoas de todas as idades e muito bem dispostas, começa o percurso, já adentrando por ruelas logo ali ao lado...





esta era a antiga estrada que ia dar ao Porto


Passando por antigas padarias. Algumas ainda em pleno funcionamento...



Um caminho bem rural começa a surgir, o que nos faz pensar como seria naquela altura, fazer um caminho semelhante a este com os pães?




 já avistamos o Porto, longe, mas já lá está...


lá longe avistamos o Estádio do Dragão
Por uma boa parte do caminho, há um misto de ruralidade com os sítios mais urbanos...



Rio Torto




Fiz questão de ir atenta, para encontrar pelo percurso coisas que tanto me encantam.
Como os diferentes estilos de arquitetura...







Muitas construções abandonadas que deveriam ser casas burguesas em outros tempos...




Mas muitas outras, novas ou em ótimo estado...



azulejos, trabalhos em ferro e muitos pormenores absorveram a minha atenção, quilometro após quilometro...










Marcas de outros tempos





o Porto é por ali...





Contrastes por todo o percurso...




As primeiras placas de ruas do Porto começam a surgir...


Aqui as padeiras já começavam a gritar anunciando a sua chegada, No melhor estilo publicidade: «Olha a Regueifa! Olha o biscoito bem fresquinho!»



Depois de muito caminhar, o Estádio do Dragão já estava ali ao nosso lado...







Igreja do Bonfim

Campo 24 de Agosto
Já começamos a conhecer vários espaços da cidade onde aconteciam mercados. Todos eram separados por categoria e o mercado do pão ficava na Praça Guilherme Gomes Fernandes.
Ainda há muito que caminhar. A esta altura a chuva já nos acompanhava.
Uma certeza: que trabalho árduo para aquelas mulheres! Quantos quilometros para levar o pão para o Porto!



Os sinais de que estamos mesmo no Centro do Porto, já aparecem...


turistas! 




Adentramos pela Rua de Cimo de Vila, onde localizava-se uma das portas de Muralha Fernandina




Onde a poucos metros, na Casa Louro, fizemos uma parada estratégica com sandes de presunto, regueifas e vinhão a nossa espera...




Seguimos mais um pouco e lá está a atual praça, onde funcionava o antigo Mercado de Pão...



Praça Guilherme Gomes Fernandes


As padeiras e os pães de Valongo... para o Porto. Histórias que encantam!

No jornal: O Tripeiro
Uma viagem no tempo!

6 comentários:

  1. Que lindo passeio...eu passei a amar o porto de longe por causa desse blog maravilhoso,adorei o passeio a história é o jornal o tripeiro. Junho estou aí para conhecer e passear por esse porto encantado,Até lá é um abraço bem afetuoso!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelas suas palavras Alice :) bem-vinda ao Porto!

      Excluir
  2. Adorei o post, parece que nos transporta a outros tempos... Louca de vontade de conhecer!

    Beijo

    ResponderExcluir