segunda-feira, 28 de outubro de 2013

A experiência "O livro que ninguém leu"

O convite era no mínimo curioso... uma visita encenada baseada num livro da Biblioteca da Casa do Infante que é hoje o Arquivo Histórico do Porto...


E a curiosidade levou-me à Casa do Infante.
Apresentado pelo pessoal da Associação Cultural Panmixia, o tema do "livro que ninguém leu"  eram as marcas encontrada nos muros, nas portas da cidade de outras épocas...



Muitas destas marcas ainda vemos nas paredes dos edifícios do centro histórico...



E começou então, uma viagem no tempo.
Uma vez que estávamos na casa onde segundo a tradição, em 1398 teria nascido o Infante Dom Henrique, patrono dos descobrimentos portugueses...


A ideia era voltarmos aquele ano, e criarmos na nossa imaginação, algum antepassado que tivesse vivido no tempo em quem nasceu o Infante  D. Henrique.
A maior surpresa, foi saber que iriamos nós mesmos, em pequenos grupos, interpretar os nossos antepassados criados na nossa imaginação, através de uma pequena encenação teatral.
Sim! Um grupo de pessoas que na maioria não se conheciam, em poucos minutos tiveram que descobrir suas aptidões para as artes cenicas.
O meu grande desafio: vinda de uma país que apenas surgiu em 1500, foi tentar ir um pouco mais atrás, no ano de 1394. Restou-me buscar inspiração no meu avô carpinteiro de Trás-os-Montes.
Começou então o aquecimento e a interação entre as pessoas...



E em poucos minutos, uma agradável surpresa... os pequenos grupos rapidamente conseguiram viver cenas e personagens de séculos atrás...





Embarquei toda contente nesta viagem, conheci pessoas, aprendi mais sobre a história, costumes e gentes do Porto e me diverti com a boa disposição e o humor dos portuenses...



Se vai estar no Porto, nas próximas datas (ver no cartaz acima) do "Livro que ninguém leu", e quiser participar, basta se inscrever por e'mail ou por telefone. Nem todas as visitas encenadas, terão este formato. Será sempre uma surpresa! Porque o Porto é assim... encanta e surpreende.

Nenhum comentário:

Postar um comentário