sábado, 28 de abril de 2012

Alminhas da Ponte...

Quando se anda pela Ribeira, nem sabemos direito para onde olhar. Tanta coisa bonita à volta... o rio, os barcos rabelo, o muro de pedras, o casario, as pessoas nas esplanadas dos restaurantes, os artista e claro, a ponte.
Tantas coisas, que às vezes pequenos detalhes passam despercebidos.
E por isso é que depois de passar por lá inúmeras vezes,  eu só a poucos dias atrás é que deparei com algumas velas no chão. Bem próximo da ponte.


Esperava que fossem velas acesas para algum santo, mas não. Ao alto, está um lindo e emotivo painel de bronze.


A placa ao lado do painel, diz tudo... estamos diante de uma bela homenagem.



Muitos anos de devoção, crença e pesar.


Uma obra de arte de um dos mais famosos escultores de Portugal. Ali, a homenagear as pessoas da Ribeira. 
Passei a olhar para a "Alminhas da Ponte" com muito respeito todas as vezes que vou à Ribeira.

Homenagens que encantam!

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Uma exposição e uma homenagem

Eu confesso que resisti um pouco para fazer esta publicação porque poderia parecer pessoal demais.
Mas por que não fazer uma homenagem ao homem que me apresentou a cidade do Porto?
É mais do que justo.
Rui Bonito é o meu grande parceiro, incentivador, e colaborador. É o  autor desta bela foto de abertura do blog aí em cima e de algumas outras que por aqui aparecem.
É um fotógrafo portuense apaixonado por esta cidade e região.
E baseado nesta paixão, ele preparou a exposição "Vintage Douro".


Este trabalho reflete  uma viagem pelo Rio Douro, desde as paisagens da zona vinhateira até a foz, no Porto. Os pormenores das suas gentes e as situações do cotidiano/quotidiano.
O local onde decorre esta exposição está totalmente ligado ao tema: nas caves do vinho do Porto Calém, na margem do rio Douro, de frente para a cidade do Porto.









Foi inaugurada no último dia 21 com a presença de amigos, clientes e familiares.




 Estende-se até 15 de Julho/12 e pode ser visitada todos os dias entre as 10 e 18 horas. Fica aqui a sugestão.
Todas as fotos da inauguração aqui: Facebook/OPortoencanta

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Vem aí a maior festa da cidade do Porto: o São João

Se você gosta de festa, muita festa, mas muita festa mesmo: não pode perder o São João do Porto.


foto:blogsapo
 A Festa de São João é a mais popular da cidade. Começa no dia 23 de Junho e acaba no dia 24, que é o dia de São João, e que foi escolhido o Santo Popular da cidade.
Imagine um Carnaval de Rua, mais um Arraial de São João e um Revellion tudo isto junto. Imaginou?
Então, o São João é assim. Uma mega festa popular. O mundo vem ao Porto e o Porto sai às ruas.
Quem não vai para a rua, faz festa em casa ou num restaurante ou num hotel. A ordem é festejar!
A cidade começa a se preparar semanas antes. As ruas ficam enfeitadas, os turistas vão chegando e no dia 23 de Junho já está tudo pronto. Sardinhas assadas é o prato obrigatório. Os assadores com carvão, vão para as portas das casas, dos restaurantes e nas varandas dos apartamentos, é a maior concentração de sardinhas assadas por metro quadrado. E começam os "bailaricos" de rua, e o típico: todos saem para a rua com aqueles martelos de plásticos, usados no carnaval e toca a bater na cabeça dos outros. Nem adianta reclamar. É lei: levar e dar martelada na cabeça uns dos outros.
Meia-noite: o auge da festa: uma super queima de fogos de artifícios à beira do Rio Douro e na Ponte D. Luis. É cosiderada uma das mais lindas queima de fogos do mundo, são mais de 30 minutos! Com muito efeito visual e sonoro.
Bom, quem ainda não está cansado segue dançando e depois vai da ribeira até a foz do Douro a pé, para ver o sol nascer na praia...e ainda bem que no dia seguinte  é feriado!

Este vídeo do Travel Channel. Mostra um pouco de tudo, vale a pena ver:





segunda-feira, 16 de abril de 2012

Azeitonas com história...

Esta é para quem gosta de azeitonas, ou não.


Gostando ou não, vale a pena saber mais sobre uma casa que se chama Azeitoneira do Porto.
Quem anda pela ribeira do Douro por entre as mesas dos restaurantes, as lojas de gifts e souveniers, os turistas, os vendedores, os artistas de rua, às vezes acaba passando e não vê.
Muitas pessoas que são do Porto, não sabem que existe.
Eu mesma já havia passado por ali inúmeras vezes e não tinha prestado atenção naquela simpática plaquinha:


O nome me chamou a atenção: Azeitoneira do Porto. Achei sugestivo e fui lá procurar saber mais.
Como o nome diz, a especialidade não podia ser outra coisa: azeitonas, as melhores produzidas no país. A maior parte delas vem do Alentejo e Trás-os.Montes. Vendidas a granel, estão lá expostas em potes imensos, liberando um aroma delicioso. Impossível não provar e levar.



A Azeitoneira do Porto é uma casa com história. Fundada nada mais nada menos em 1862, está já na quarta geração através da D. Leonor que há 40 anos vai a frente do negócio, já preparando o seu filho Miguel que irá representar a quinta geração . Ambos estão ali para atender a todos, clientes locais ou turistas com muita atenção e conhecimento dos produtos ali vendidos.Além das azeitonas, estamos falando de vinhos, azeites, conservas, queijos, frutos secos entre outros.




Nos dias atuais é mesmo incrível ver uma loja que tem a 5ª geração à frente do negócio.
O tempo que eu passei lá conhecendo os detalhes da Azeitoneira do Porto, pude observar o entra e sai dos turistas e principalmente de clientes habituais que já são conhecidos pelos nomes e que dá para ver que vão sempre lá principalmente pela qualidade.
Vale a pena conhecer está loja centenária que mantém na sua arquitetura a originalidade das enormes pedras que constituíam a muralha que defendia a cidade. E claro, com vista para o Rio Douro.



quarta-feira, 11 de abril de 2012

Turismo Criativo. Que tal?

Já pensou em fazer um turismo diferente? Sair daquele circuito básico e fazer um turismo criativo?
Pois é... conheci esta idéia a pouco tempo e divido esta dica para quem quiser aproveitar a sua visita à cidade do Porto para fazer um workshop experimental sobre alguma atividade artística da região.


Quem é que nunca se encantou com os belíssimos azulejos portugueses?





Sozinho, ou em grupo, é possível programar um workshop de pintura em azulejos.

Também dá para fazer um circuito pelo Porto acompanhado por uma artista da região, e recolher impressões sensoriais, trocar experiências com artistas, artesãos e pessoas locais. E levar na sua bagagem de volta, lembranças especiais.

Uma jeito diferente de conhecer um pouco mais sobre algumas atividades artísticas do Porto e região. Conhecer pessoas. Reciclar conhecimentos. Trocar experiências.

Clique na imagem abaixo e conheça. os cursos, os artistas e como fazer uma programação criativa no Porto:

sexta-feira, 6 de abril de 2012

É mais que uma livraria... é um templo.

Quem anda pela Rua das Carmelitas próximo à Torre dos Clérigos (um dos ex libris da cidade) vê um edifício, que já do lado de fora  é diferente.



Mas é do lado de dentro que ele é mesmo...diferente...único...especial.



Quem é amante dos livros e quem não é...não consegue passar por ali sem entrar.
A Livraria Lello faz parte do circuito turístico da cidade, está assinalada nos mapas turísticos, é passagem obrigatória, para quem visita e para quem aqui vive.



Quando eu fiz este post, os sinais de proibido fotografar estavam em todo lado. Só podia ser fotografada com autorização especial.














Atualmente isto mudou. Já se pode fotografar livremente dentro da livraria. Mas para entrar lá, é preciso pagar 4 euros, que podem ser descontados na compra de um livro.
Esta medida teve que ser tomada, porque com o crescimento do turismo no Porto, era impossível circular dentro da Lello e ainda por cima, as pessoas entravam, fotografavam e iam embora, não há negócio que se sustente desta maneira. E hoje em dia, isto está funcionando muito bem entre turistas, locais e a própria Livraria Lello.


Bom, a Livraria Lello é considerada pelo jornal inglês The Guardian a 3ª mais bela livraria do mundo. Mas há quem a considere a mais bonita do mundo.


 
A  majestosa escada vermelha no centro, o vitral ao alto, os detalhes trabalhados nas paredes, as antigas prateleiras com portas de vidro que estão lá desde a fundação em 1906, tudo nos faz acreditar que estamos num templo. O Templo da Sabedoria. O Templo dos Livros.






Sim, os livros estão lá. São muitos...mais de 120.000 títulos, por entre prateleiras, nos balcões, no chão.
Todos os assuntos, todos os autores, editoras, livros, livros e mais livros. É quase impossível sair de lá sem levar algum.









Uma das muitas curiosidades da livraria, diz respeito ao Brasil. Já que o Jô Soares, quando vem ao Porto lançar algum livro, faz questão de o fazer na Lello. Além de que algumas cenas do filme baseado no livro de sua autoria: O Xango de Baker Street, foram filmadas  nesta livraria.



Mas uma coisa eu garanto, podemos olhar todas as fotografias que já foram tiradas da Livraria Lello, mas a sensação de se estar  dentro de um Templo de Livros, só mesmo para quem a visita pessoalmente.

Quer saber mais sobre a história da Livraria Lello, clique aqui.
Todas as fotos estão no álbum do Facebook/OPorto encanta.


 Meu agradecimento especial à Dona Manuela, que está lá quando a livraria não está aberta, sempre pronta para receber o pessoal que tem que fazer este trabalho como o meu.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Arte Urbana num Cenário Especial

Eu digo várias vezes que o Porto mistura o antigo com o moderno com a maior facilidade.
E uma das tantas coisas que aconteceram no Porto no último fim de semana, só confirma está minha teoria:


Urban Market é uma projeto arrojado  da empresa Portugal Lovers, que consiste em levar para o Centro Histórico do Porto criadores portugueses nas diversas áreas do design para apresentar e vender seus produtos, e ao mesmo tempo, atrair o público da cidade e os turistas para conhecerem edifícios antigos que foram totalmente reabilitados.



O Hotel Carrís Porto Ribeira recém-inaugurado,  abriu as suas portas para a 3ª Edição deste evento.
E durante 3 dias, os artistas e criadores puderam mostrar suas artes nos corredores, hall, recepção e demais áreas comuns deste  Hotel. Posso dizer que tratou-se de um cenário especial.

O Hotel foi construído a partir da reabilitação de  5 edifícios que estavam degradados na zona histórica muito próxima da ribeira do Douro. Uma localização privilegiada, que permitiu  que as pessoas (locais e turistas) que por ali passavam, entrassem livremente para conhecer aquele  projeto arquitetonico tão bem concebido e ainda apreciar os diversos trabalhos dos criadores portugueses.


Por entre paredes de pedras imensas, elevadores, móveis do hotel, era possível conhecer e comprar uma idéia original de um designer do produto,  moda, jóias, cakes e ainda cabelo, maquiagem, música, exposição e workshops. Prá quem entrou garanto que foi uma grata surpresa. E ainda bem que as próximas edições do Urban Market  já estão sendo programadas.








No tempo que por ali circulei, ora admirava a arquitetura do hotel, ora admirava os produtos e a agitação do evento. Pode ver todas as fotos da 3ª Edição do Urban Market no Facebook/OPortoencanta.